PUB
Centro Histórico: 297 edifícios isentos de IMI e 116 mil euros em benefícios
Centro Histórico: 297 edifícios isentos de IMI e 116 mil euros em benefícios
Alfredo Oliveira
Sexta-feira, Dezembro 22, 2017

São 297 edifícios que serão propostas à Autoridade Tributária para receberem a isenção de pagamento de IMI durante 2018, o que, pelas contas do município, deverá significar um montante de 116 mil euros em benefícios para os proprietários.

O vereador do Urbanismo, Seara de Sá, explicou que no perímetro do Centro Histórico existem 490 edifícios, onde estão incluídas construções religiosas, monumentos nacionais, como o Castelo, e edifícios municipais, que já estão naturalmente isentados de pagamento de IMI. Nos serviços da Câmara deram entrada 319 pedidos de isenção: foram excluídos 22 (17 por estarem fora da zona classificada, dois por estarem devolutos e três porque os proprietários entregaram as candidaturas fora do prazo). “Acho que este resultado excedeu as expectativas porque o prazo era curto e a grande maioria dos proprietários respondeu”, frisou o vereador Seara de Sá, vincando que, em algumas ruas, há 80% e 90% de edifícios isentados.

Este vereador mereceu os elogios da oposição: André Coelho Lima critiou o facto de não ter conseguido esta resposta nos requerimentos anteriores sobre o valor que a Câmara cobrou de IMI aos proprietários do Centro Histórico nos anos em que não houve isenção. “Em trinta dias conseguiram saber o que não conseguiram em seis meses”, referiu o vereador do PSD.

Pelas contas do município, os proprietários poupam 116 mil euros, um valor bem distante do montante anunciado por Domingos Bragança, de um milhão de euros.