Cazaquistão abre cônsul em breve em Guimarães após geminação com Turkistan
Cazaquistão abre cônsul em breve em Guimarães após geminação com Turkistan
Terça-feira, Janeiro 12, 2021

O executivo vimaranense aprovou esta segunda-feira em reunião de câmara a geminação de Guimarães com Turkistan, cidade do Cazaquistão, mas com reparos da oposição. Apesar do voto favorável, Ricardo Araújo questionou o critério deste tipo de ações.

No documento que apresenta esta geminação é referido que a mesma foi formalizada pelo embaixador do Cazaquistão em Portugal “tendo em vista, sobretudo, a criação e fortalecimento de relações comerciais e culturais entre as cidades”.

Ricardo Araújo, vereador eleito pelo PSD referiu que este tipo de geminação não tem qualquer ponto negativo e até pode trazer benefícios, mas de uma forma mais genérica criticou aquilo que considera ser a ausência de uma política de relações internacionais no concelho.

“É difícil perceber critérios comuns do ponto de vista global, o que nos leva a concluir que Guimarães não tem uma política de relações internacionais estrategicamente definida e coerentemente assumida. Poderíamos promover protocolos sendo Guimarães proativo e não só reagir às propostas que chegam. Guimarães devia, por si própria, estabelecer um conjunto de cidades com quem gostaria de estabelecer protocolos de colaboração, nomeadamente nas regiões que ao longo da história têm relacionamento connosco, a União Europeia, ao nível da CPLP (Comunidade de Países de Língua Portuguesa), e também no espaço ibero americano”, vincou.

O vereador referiu mesmo que no sentido desta intervenção a oposição deverá futuramente questionar o município sobre o tipo de relacionamento existente com as cidades com as quais Guimarães tem geminação, para perceber o que é feito.

Em resposta, Ricardo Costa sublinhou que esta geminação “faz todo o sentido”, alavancando dois vetores fundamentais. “O primeiro é, desde logo, a pareceria que as universidades do Cazaquistão fizeram recentemente com a Universidade do Minho; acompanhei as reuniões e, desde logo, foi dada abertura a esta relação, porque é fundamental para o crescimento de uma sociedade e de uma economia robusta o conhecimento, porque o conhecimento não tem fronteiras. O segundo passo, tão ou mais importante, a abertura do centro de negócios, ou se quisermos, a abertura de um espaço de diplomacia económica que vai abrir em Guimarães, o cônsul do Cazaquistão para a zona norte ficará com sede em Guimarães”, atirou.

O vereador com o pelouro do desenvolvimento económico referiu que brevemente abrirá o centro de negócios do Cazaquistão em Guimarães, sendo este um dos motivos pelos quais considera que “esta geminação faz todo o sentido”.