PUB
Causa da poluição na Ribeira da Agrela aguarda análises da APA
Causa da poluição na Ribeira da Agrela aguarda análises da APA
© Direitos Reservados
Quarta-feira, Outubro 3, 2018

Sobre a suspeita de a causa ter sido o vazamento de uma caixa de visita da rede de saneamento, rede essa que é gerida pela Vimágua, a empresa municipal diz ser cedo para tirar conclusões. Amostras estão em análise pela Agência Portuguesa do Ambiente.

No dia seguinte à participação do caso às autoridades, a própria Vimágua viria esclarecer, por intermédio de um comunicado à imprensa, que “não há, ainda, como imputar responsabilidades quanto às causas da degradação da qualidade da água na Ribeira da Agrela, as quais terão provocado a morte de peixes”, porque “as causas da morte de peixes na ribeira da Agrela não foram, ainda, apuradas pela Agência Portuguesa do Ambiente”.

Da mesma forma, o presidente do Conselho de Administração da Vimágua, Armindo Costa e Silva, assegura que “nunca a Vimágua agiria de forma contrária àqueles que são os seus princípios”, isto é, “a proteção dos valores ambientais, designadamente, das linhas de água”, como princípios estruturantes da atividade da Vimágua.

Na mesma comunicação, a empresa municipal descreve que, assim que tomou conhecimento da ocorrência, terá contactado a Agência Portuguesa do Ambiente e a Águas do Norte S.A.

O local onde supostamente terá ocorrido o derrame encontra-se um interseção com o sistema em alta, cuja gestão é da responsabilidade da Águas de Portugal. A Vimágua esclarece ainda que foi a própria Águas de Portugal que terá comunicado aos serviços técnicos da Vimágua que “já haviam procedido, por intermédio dos seus meios técnicos, à desobstrução, no local onde se registou o derrame”.

Por último, a Vimágua esclarece que tem um “plano de manutenção preventiva” para detetar antecipadamente obstruções, colapsos dos coletores ou avarias em estações de bombagem, uma vez que, acrescenta, “é impossível, para qualquer entidade gestora, conseguir eliminar em absoluto o risco de ocorrências de derrames em consequência de situações fortuitas”.

PSD de Guimarães estranha silêncio da Câmara Municipal

No plano político as reações fizeram-se notar por parte do PSD de Guimarães, que condena o atentado ambiental. O partido da oposição, que está representado no executivo através da coligação Juntos por Guimarães, estranha que o presidente da Câmara Municipal de Guimarães não tenha prestado quaisquer declarações sobre o sucedido.