Câmara Municipal avaliou sete parcelas para o Banco de Terras de Guimarães
Câmara Municipal avaliou sete parcelas para o Banco de Terras de Guimarães
© Direitos Reservados
Terça-feira, Maio 29, 2018

Após o processo de avaliação dos 28 terrenos que se apresentaram como disponíveis para fazer parte da bolsa de terrenos, sete foram classificados como tendo condições para receber projetos agrícolas ou de base rural.

Decorreu o processo de avaliação das 28 parcelas de terreno, que foram inscritas para o Banco de Terras de Guimarães. Este esquema visa que proprietários de terrenos possam alugá-los à autarquia, para que esta subarrende a empreendedores locais, com projetos agrícolas ou de base rural.

Destas submissões, apenas sete parcelas de terreno foram aprovadas para o efeito. De acordo com informação da Câmara Municipal de Guimarães, foram enviadas as avaliações de cada responsável pela candidatura para o Banco de Terras, a cada um dos 15 proprietários que avançaram com terrenos disponíveis.

Com base na avaliação efetuada pela equipa da Incubadora da Base Rural de Guimarães, que funciona sob a alçada da autarquia, foi determinado um valor de renda, que a Câmara Municipal de Guimarães se disponibiliza a pagar aos proprietários, que deverão aceitar ou não as condições propostas.

Os terrenos selecionados estão localizados nas freguesias de Silvares, União de Freguesias de Airão Sta. Maria, Airão S. João e Vermil, Abação e Gémeos, Serzedo e Calvos, Briteiros S. Salvador e Briteiros Sta. Leocádia e ainda Atães e Rendufe.