PUB
Caldas das Taipas a (des)propósito XXXIII – Caldas das Taipas atenta nas comemorações do duplo centenário de Portugal
Segunda-feira, Junho 8, 2020

Aproveitou bem, e esteve mais uma vez no seu melhor a Junta de Turismo da Estância Termal das Taipas, sabendo da grande apoteose que é sempre o ano 40 de cada século, quando Portugal comemora o seu duplo centenário, o da fundação no século XII e o da restauração no século XVII.

A Junta de Turismo, que até tinha poder para lançar impostos sobre todo o negócio ao redor do turismo que só depois de arrecadado atribuía uma parte à Câmara, a instituição que mais fez pelas Taipas no século passado e que tanta falta lhe fez e faz. Com ela não teríamos tantas perdas desde logo o acesso às estradas de primeira ordem que sempre tivera, obviamente não deixaria perder o acesso direto à Auto Estrada.

Para obtenção do então muito difícil título administrativo de VILA a toda a povoação de CALDAS DAS TAIPAS, em requerimento com a Junta de Freguesia, sabendo do seu real valor e poder toma a dianteira e requere-o ao Ministro do Interior, só mais tarde, e, apenas por mero formalismo este pede pareceres a Câmara Municipal, ao Governo Civil do Distrito e à Junta de Província do Minho.

O Povo das Caldas das Taipas ansiava a aura invisível do seu progresso, na perspectiva da aurora redentora do seu ressurgimento, sabia da existência dum escuro véu a tapar-lhe a luz da sua fogueira esperança. Eram estes os seus votos ardentes, e as pessoas manifestam-se exactamente nos termos destas palavras ao poder de então, porque afinal de contas o título de vila não lhe trouxe, como ainda hoje não lhe confere poder algum.

Naquelas comemorações, quinze dias antes da atribuição do título de 19 de Junho, o nosso Presidente da Junta de Turismo, José Eduardo de Carvalho Crato aloja na sua casa de Caldas das Taipas, o seu amigo Eng. Duarte Pacheco, ministro das Obras Públicas, e traz para estadia no melhor hotel concelhio, o Hotel das Termas das Taipas, as personalidades mais representativas da Nação Portuguesa, onde pontificava a família da mais importante figura do Estado, o Presidente da Republica, General Óscar Carmona, de todo o ilustre Corpo Diplomático sedeado em Portugal, como ainda da Embaixada Extraordinária do Brasil, tendo todos saído daqui lisonjeando o carinho recebido e das belezas observadas na região de Caldas das Taipas.

 

Documento do Ministro do Interior, Mário Pais de Sousa