PUB
Bragança pediu aos alunos da Secundária das Taipas uma “vontade fortíssima” para mudar o Rio Ave
Bragança pediu aos alunos da Secundária das Taipas uma “vontade fortíssima” para mudar o Rio Ave
Alfredo Oliveira
Terça-feira, Janeiro 21, 2020

O presidente da Câmara municipal de Guimarães, Domingos Bragança, esteve na tarde desta terça-feira na Escola Secundária de Caldas das Taipas no âmbito da iniciativa “Ave para Todos”, levada a cabo pelo Laboratório de Paisagem de Guimarães. Com o intuito de formar os mais jovens sobre a importância dos recursos hídricos, Domingos Bragança frisou que “este caminho é de todos e para todos”.

Para além do presidente do município, marcaram também presença na sessão as vereadoras municipais Adelina Pinto e Sofia Ferreira e ainda o presidente da Junta de Freguesia de Caldelas, Luís Soares, numa cerimónia liderada pelo diretor do estabelecimento de ensino Celso Lima.

Luís Soares, presidente da Junta de Freguesia de Caldelas, foi o primeiro a usar da palavra, lembrando a ligação sentimental que existe entre os taipenses e o Rio Ave. “Os nossos pais e avós tinham os principais momentos de lazer junto às margens do Rio Ave, foi lá que aprenderam a nadar. Mas na minha infância o rio corria colorido, com odor e sem vida, o que hoje já não acontece”, frisou.

Vereadora com a pasta do ambiente, Sofia Ferreira destacou que “este projeto é um grande desafio” na medida em que cada um de nós tem de fazer mais”, relembrando que “a sustentabilidade ambiental é uma das bandeiras mais defendidas pelo município”. Já Adelina Pinto, vereadora com o pelouro da educação, reforçou o papel da escola para que os jovens sejam capazes “de acreditar num rio Ave diferente”.

Domingos Bragança encerrou as intervenções, pedindo aos cerca de trinta alunos que se voluntariaram como embaixadores desta iniciativa para “contaminar toda a escola” com a missão de fazer este caminho de “sustentabilidade ambiental” no concelho. “Começámos um caminho em 2014 e pusemos no horizonte ser Capital Verde Europeia. Não conseguimos e no indicador dos recursos hídricos ficámos mal. Depende de cada um de nós ter uma vontade fortíssima de mudar”, disse o edil vimaranense.

Depois dos discursos deu-se início às formações ao cargo do Laboratório da Paisagem de Guimarães, sendo que inclusivamente na última das cinco sessões será feita uma saída para o terreno para contactar diretamente com o Rio Ave. Ao todo este projeto realizará mais de uma centena de ações semelhantes à que decorreu nas Taipas nas escolas de freguesias com influência direta no Rio Ave. Na próxima semana há nova sessão nas Taipas, no dia 27 na Escola EB 2/3 de Caldas das Taipas.