PUB
BE reage à notícia da recusa do visto do TC para aumento de capital da Turitermas
BE reage à notícia da recusa do visto do TC para aumento de capital da Turitermas
Paulo Dumas
Sexta-feira, Março 23, 2018

O BE acusa o acionista maioritário de contornar a lei com malabarismos. O bloquistas defendem que a viabilidade da cooperativa não deve estar dependente de sucessivos aumentos de capital.

Na sequência das notícias publicadas nos últimos dias e de várias reações políticas já registadas pelo Reflexo, também o Bloco de Esquerda se vem juntar às vozes críticas da oposição, acusando o presidente Domingos Bragança de usar para contornar a lei.

Em nota de impresa, o BE recorda que em sede de Assembleia Municipal de Guimarães, já tinha questionado sobre “a má gestão dos recursos e a falta de planeamento da atividade daquela cooperativa municipal”.

Os responsáveis deste partido vêm reafirmar que as injeções de capital da Câmara naquela empresa participada “deveriam ser usados para o bem comum” ao invés de servirem para suportar atividades “tipicamente comerciais”.

Desta forma, o Bloco de Esqueda vem defender que as verbas transferidas para a cooperativa Taipas Turitermas sejam canalizadas para a prestação de serviços públicos aos vimaranenses, independentemente da sua condição económica.

Por fim, o BE de Guimarães desafia Ricardo Costa, presidente da cooperativa, “a assumir a viabilidade económica da atividade, não ficando dependente de sucessivos aumentos de capital” e a “divulgar as categorias e vencimentos de todos os trabalhadores”.