PUB
Balcão dos CTT na Junta de Freguesia irá encerrar
Balcão dos CTT na Junta de Freguesia irá encerrar
Paulo Dumas
Quarta-feira, Dezembro 27, 2017

Passados seis meses da data de entrada em funcionamento de um balcão dos CTT na Junta de Freguesia, CTT e autarquia decidiram pela não renovação do contrato. Baixos níveis de serviço estão entre os motivos do encerramento.

Junta de Freguesia de Caldelas e CTT decidiram-se pela não renovação do contrato que as duas instituições mantiveram durante o último meio ano. O mesmo contrato previa que pudesse não ser renovado passados seis meses desde a sua entrada em vigor.

Agora, de acordo com nota de imprensa emitida pela Junta de Freguesia, ambas as entidades decidiram não renovar a parceria, ditando o encerramento do posto. Esta decisão foi tomada em conclusão à reunião de avaliação entre ambas as partes, sobre a avaliação dos serviços prestados pelos CTT, no balcão instalado nas instalações da Junta de Freguesia.

Da parte da Junta de Freguesia, é justificada a denuncia do contrato pelos baixos níveis de serviço prestados naquele balcão, bem como a insustentabilidade financeira decorrente da sua manutenção.

Na mesma nota de imprensa, são referidos como motivos para o encerramento do balcão o número reduzido de vales de reformas que eram pagos. Juntam-se ainda questões de segurança e de índole financeiro, como o fraco retorno para a Junta de Freguesia, assim como pela alteração do regime de retribuições a pagar pelos CTT.

Segundo o executivo de Caldelas, há a garantia por parte dos CTT do não encerramento do balcão na vila, decorrente do plano de reestruturação que a empresa está a preparar para ser executado no próximo ano. Assim, todos os serviços deverão permanecer disponíveis. O balcão na Junta de Freguesia encerará no final do mês de janeiro.

A decisão de instalação do balcão nas instalações da Junta de Freguesia partiu do anterior executivo, apesar de a proposta apresentada em Assembleia de Freguesia de 12 de junho ter sido rejeitada. Esta decisão deu origem a uma petição, cujo primeiro signatário era Luís Soares, atual presidente do executivo. O balcão entrou em funcionamento no dia 30 de junho.