PUB
a verdade e a mentira
Domingo, Outubro 31, 2004

E a verdade é uma: passado algum tempo, muitas mortes, sequestros, execuções e decapitações, muitas vezes em directo e com direito a divulgação mundial, ficámos todos a saber que, afinal, não existiam armas de destruição “maciça” no Iraque. Pior ainda, foi a justificação apresentada pelos autores dessa invasão, ao afirmar que, mesmo sem a existência dessas armas, tinham prestado um serviço à humanidade pois o Mundo tinha perdido mais um ditador: Saddam Hussein.
Que fomos enganados, não há dúvida!!! Só falta saber se os senhores do mundo se deixaram enganar ou se (inocentemente) foram enganados. Fico preocupado, pois ficamos a saber que os destinos da humanidade estão entregues a quem pode fazer estas atrocidades e outras que lhes apeteçam.

Pê éSses finais:
O recente caso do afastamento, resultante de pressões, do Prof. Marcelo Rebelo de Sousa da TVI veio alertar-nos para o retomar da lei da “rolha” por parte de quem tem o poder. De facto, desde que o actual Primeiro-ministro, Dr. Pedro Santana Lopes, tomou posse, que as críticas dominicais do Prof. na TVI, eram extremamente contundentes. Porém, não sabem eles que também nós nos lembramos de que, no tempo do Governo do Eng. Guterres, estas críticas foram repetidamente feitas de forma ainda mais contundente e durante muito mais tempo e nunca o Eng. António Guterres ou algum Ministro do seu Governo o atacou ou mandou alguém calar o professor. É o próprio Prof. a confirmar que apenas lhe foram entregues sugestões e/ou correcções, mas nunca pressões. E, caso dúvidas existissem quanto à intenção do Governo controlar e condicionar a liberdade de expressão, tudo se torna mais claro se repararmos bem nas recentes nomeações de pessoas de confiança política para os conselhos de administração de empresas de media e em direcções de informação, nas cerca de 30 pessoas (“spin-doctors”) destacadas para o Gabinete de Informação e Comunicação (GIC), bem como nas aberrantes intenções apresentadas pelo Ministro Nuno Morais Sarmento em relação à programação da RTP.

Qual o meu espanto quando o Governo dá uma tolerância de ponto e, a seguir, a Ministra da Educação pede para as escolas trabalharem mais dias, tendo em vista o cumprimento dos programas. Não está mal, não senhora!!! O que está mal é quem sempre esteve contra as tolerâncias de ponto, ter deixado de estar! Teria sido para compensar os atrasos e dar mais tempo aos professores que num curto espaço de tempo tiveram que mudar de casa? Mesmo assim, para quem pede dias a mais de trabalho e dá tolerância de ponto, não dá para perceber!

E o Governo adoptou uma medida para aumentar a natalidade: reduzir o IVA nas fraldas!!!

Ainda em relação à nova Feira, tanto quanto pude verificar, mesmo com algumas deficiências de capaz solução, a melhoria quer para os feirantes quer para os utentes é significativa. Não se esqueçam que o óptimo é, muitas vezes, inimigo do bom.

Destaco a utilização de painéis solares nos semáforos colocados na variante. É sinal de que a Câmara Municipal de Guimarães tem preocupações ambientais. Esperemos é que outras utilizações se venham a verificar.

pauloix@.pt