PUB
Associados do CC Taipas aprovam Relatório e Contas da última época
Associados do CC Taipas aprovam Relatório e Contas da última época
Manuel Silva
Terça-feira, Setembro 25, 2018

Na mesma Assembleia-geral, realizada na passada sexta-feira, foram votados e aprovados o Plano de Atividades e Orçamento para 2018-2019, bem como uma proposta de autorização para a Direção cooptar novos elementos para os órgãos sociais e um Voto de Louvor a João Pedro Ribeiro, ex-presidente da Direção do Clube.

O Salão Nobre da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários das Taipas recebeu, no passado dia 21 de Setembro, a realização de uma Assembleia-geral do Clube Caçadores das Taipas, a primeira da era dos novos órgãos sociais do Clube, eleitos a 6 de Junho último.

No primeiro ponto da Ordem de Trabalhos, foi dado a conhecer o Relatório e Contas da época desportiva 2017-2018, tarefa que coube a João Pedro Ribeiro, presidente da Direção cessante, por se tratar de período respeitante ao seu final de mandato. Foi ainda dado a conhecer, também pelo presidente do anterior Conselho Fiscal, Manuel António Ribeiro, o Parecer às contas apresentadas.

No que respeita às contas, o exercício de 2017-2018 terminou com um saldo negativo de 2.751,47 euros que, somado aos 30.387,12 euros que transitaram de 2016-2017, perfaz um saldo negativo de 33.138,59 euros. Na apresentação do documento João Pedro Ribeiro salvaguardou a situação de, à data do fecho das contas, o Clube ter receitas pendentes no valor de 10.200,00 euros, bem como de 1.172,25 euros de IVA a recuperar, valores que constam numa Ata de Transição entre direções redigida para o efeito e que coloca o défice de Gerência em 21.766,34 euros.

Colocadas à votação, as contas foram aprovadas com 16 abstenções e 13 votos a favor.

O ponto seguinte, relativo ao Plano de Atividades e Orçamento para a época já em curso, 2018-2019, foi aprovado com 28 votos favoráveis tendo-se registado uma abstenção.

No que respeita ao Orçamento, o valor apresentado pela nova Direção cifra-se nos 309 mil euros com a requalificação dos balneários, do campo n º 3 e de outras obras necessárias ao bom funcionamento da atividade do Clube a absorver uma fatia na ordem doa 140 mil euros. Os custos com Fornecimento de Serviços Externos, onde se inclui gastos com água, luz, combustíveis, material desportivo e impostos, entre outros, tem uma dotação que ultrapassa os 63 mil euros. Com a atividade desportiva do Clube, a nova Direção conta gastar 70 mil euros a que junta um valor de 35 mil euros para despesas junto da Associação de Futebol de Braga. Está ainda previsto um valor de 3.500 euros para amortização do passivo do Clube.

Para fazer face a estas despesas, Tiago Rodrigues, espera poder contar com subsídios na ordem dos 152 mil euros, onde a maior fatia virá da Câmara Municipal de Guimarães para a requalificação dos balneários (100 mil euros), do campo nº 3 (30 mil euros) e de apoio à formação (12.500 euros), bem como, com a receita gerada pelo futebol de formação (44 mil euros) e do futebol sénior (15 mil euros). A juntar a estes valores, a Direção taipense espera realizar com a quotização dos associados uma receita de 25 mil euros, em publicidade e patrocínios de 40 mil euros e em donativos e festas de 30 mil euros.

No ponto 3 da Ordem de Trabalhos constava um pedido de autorização da Direção à Assembleia-geral do Clube, para pode cooptar novos membros a integrar os seus Órgãos Sociais. Tiago Rodrigues, presidente da Direção, justificou esta pretensão com o facto dos atuais órgãos sociais, concretamente da Direção, serem ”curtos” em número de elementos e haver necessidade de integrar novos elementos para fazer face às dificuldades do dia-a-dia do Clube. Este assunto ainda mereceu uma troca de argumentos entre os associados Jorge Freitas e Jorge Cravo mas, colocado à votação, acabou aprovado com 9 abstenções e 22 fotos a favor.

Na meia hora destinada a tratar de assuntos de interesse para a coletividade, o associado nº 206, Jorge Freitas, apresentou uma proposta de votação de um Voto de Louvor a João Pedro Freitas, sócio nº 13 e presidente cessante do Clube, pelo “esforço”, “dedicação” e “mérito” demonstrados ao longo dos anos. Esta proposta foi aprovada com 18 votos favoráveis e 3 abstenções.