PUB
Associação Vimaranense de Hotelaria promove marcha lenta este sábado nas ruas de Guimarães
Associação Vimaranense de Hotelaria promove marcha lenta este sábado nas ruas de Guimarães
Associação Vimaranense de Hotelaria
Sexta-feira, Novembro 20, 2020

Entre a espada e a parede, o setor hoteleiro pretende manifestar as suas preocupações e sugere, em comunicado, medidas para atenuar os danos.

A Associação Vimaranense de Hotelaria ( AVH ) está a organizar um protesto/manifestação no próximo sábado, dia 21, pelas 9h30 da manhã no Campo de São Mamede em Guimarães. Um protesto que conta com inúmeras empresas de vários setores que, direta ou indiretamente, trabalham para o setor da restauração e hotelaria e, também, com o comércio local depois da ACTG (Associação do Comércio Tradicional de Guimarães) ter aceite o convite para fazer parte do mesmo.

O setor hoteleiro atravessa uma fase de risco, devido à pandemia por Covid-19, e muitos dos que nele trabalham sentem a ameaça do desemprego. Num comunicado dirigido à Assembleia da República, a direção da AVH dá a conhecer a realidade: “Vivemos momentos de extrema dificuldade financeira que, ainda mais forte se avizinha, em contínua queda- livre. Não, não sabemos qual o manual de instruções. Estamos todos a improvisar, na medida do razoável, do necessário, do urgente”.

Nesse sentido, a AVH lançou algumas medidas que incidem não apenas sobre questões de tesouraria, como também sobre matérias fiscais tais como, a isenção do pagamento da Taxa Social Única, por um período de 8 meses, a redução da taxa de IVA aplicável à restauração para o valor de 6% em todos os produtos até 2022, a implementação de novas moratórias fiscais e contributivas, nomeadamente quanto ao pagamento de IRC, entre outras.

Iniciativas que a AVH acredita, que postas em prática “ajudarão a atenuar os danos que a progressiva paralisação da atividade económica causará”.