PUB
As raposas não deviam guardar o galinheiro
Quinta-feira, Outubro 3, 2019

A poucos dias das eleições legislativas que vão determinar os deputados para nos representar nos próximos 4 anos, fui tentar saber quem são os candidatos pelo distrito de Braga à Assembleia da República (AR).

Não estava à procura de assunto para esta crónica mas, o resultado, de uma simples pesquisa no google, surpreendeu-me. É que no caso do partido Socialista (PS), os 8 primeiros candidatos foram todos eles notícia por questões pouco elogiosas e eticamente condenáveis. Se tivermos em conta as projecções que indicam a grande probabilidade de serem eleitos, o PS conseguirá a proeza de eleger, pelo distrito de Braga, apenas deputados conotados com escândalos.

A cabeça de lista, a deputada decana Sónia Fertuzinhos, na AR há 28 anos, além de aparecer associada ao caso Raríssimas, é uma das deputadas que recebe cerca de mil euros mensais de subsídio de deslocação por declarar morar em Guimarães, apesar de viver em Lisboa com a sua família há mais de 10 anos.

José Mendes, número 2 da lista e actual secretário de estado adjunto e da mobilidade, foi notícia na revista Visão por andar num BMW no valor de 50 mil euros, da empresa pública Metro de Lisboa. Para terem uma ideia do conflito de interesses, é o mesmo que presidente da Liga de Clubes andar num carro pago pelo Benfica ou pelo Porto.

A terceira da lista é Maria Begonha, uma jovem de Lisboa que afirma, sem qualquer pudor, nunca ter tido “nenhum emprego regular sem ser na junta e na câmara”. Apesar de jovem já acumula escândalos, com mentiras no currículo, imprecisões na idade, ajustes directos milionários e utilização de meios públicos em campanhas.

Em quarto lugar vem Joaquim Barreto, o deputado foi apanhado pelo Correio da Manhã num esquema de partilha de boleia de Barcelos para Lisboa, com os colegas de bancada Domingos Pereira e Palmira Maciel. O problema é que o carro e motorista utilizados eram pagos pela Câmara de Barcelos!

Em quinto e sexto lugar temos Hugo Silva e Palmira Maciel, os deputados, antigos vereadores da Câmara Municipal de Braga, foram arguidos no processo que condenou Mesquita Machado a 3 anos de prisão, com pena suspensa. Os deputados foram ilibados mas, no currículo de gestores públicos fica o voto favorável num negócio que pretendia beneficiar a filha do amigo lesando o estado.

Joaquim Barreto e Palmira Maciel aparecem ainda no caso “família socialista”, tendo conseguido colocar filho e o genro no governo.

Em sétimo lugar vem Luís Soares, o deputado condenado por eleição ilegal, num processo em que a justiça provou que o crime compensa (pelo menos para os políticos), já que a pena aplicada é bastante inferior ao valor auferido nos cargos que exerceu ilegalmente.

Em oitavo lugar, Nuno Sá associado ao caso das presenças fantasma na Assembleia da República, segundo o Observador o deputado estaria em Famalicão e na AR ao mesmo tempo.

O propósito deste texto não é denegrir a imagem das pessoas em questão, até porque apenas compila notícias. Vivemos tempos em que denunciar o que é errado é deselegante, ou como muitos gostam de dizer: populista. A verdade é que a minha intenção é trazer para a discussão o que está mal. Nas últimas eleições a taxa de abstenção chegou aos 70%, o que significa que a nossa democracia já não o é.

Os portugueses não desistiram de votar por serem preguiçosos ou porque não querem saber. Os portugueses deixaram de votar por esta banalidade da corrupção e da falta de ética. Porque sentem que já não vale a pena.

Mas a abstenção não pode ser a resposta, desistir da democracia não é opção. É preciso falar, é preciso denunciar, é preciso exigir padrões ético-morais mais elevados no cumprimento de cargos públicos, afinal estamos a escolher as pessoas que vão gerir o nosso dinheiro, a nossa saúde, educação, trabalho, enfim, a nossa vida.

Todos os factos acima descritos foram retirados de notícias, deixo abaixo os links para que possam consultar:

Sónia Fertuzinhos
Raríssimas. PJ está a investigar viagem de deputada Sónia Fertuzinhos à Suécia
Mulher do ministro Vieira da Silva investigada no caso Raríssimas
Sónia Fertuzinhos recebe do Parlamento subsídio de deslocação. Mas vive em Lisboa

José Mendes
Secretário de Estado da Mobilidade usa BMW pago pelo Metro de Lisboa

Maria Begonha
Ajustes de 140 mil euros, o autocarro da junta e o currículo criativo. O arranque atribulado de Maria Begonha
Candidata à liderança da JS mente na biografia de campanha
Maria Begonha: “Nunca Tive um emprego regular sem ser na junta e na câmara”

Joaquim Barreto
Autarca ordena inquérito a uso de carro camarário
Deputados do PS usam carro da autarquia para viagens sem o poder fazer

Joaquim Barreto e Palmira Maciel
Familygate: há agora mais seis casos de nomeações familiares

Palmira Maciel e Hugo Pires
Mesquita Machado constituído arguido num processo em que é suspeito de ter beneficiado familiares
Caso das Convertidas. Julgamento do ano tem início marcado para esta segunda-feira
Relação confirma 3 anos de prisão com pena suspensa para Mesquita Machado

Hugo Pires
Dirigente do Ps arguido por corrupção
Deputado do PS da área da habitação acusado de despejos em Braga

Luís Soares
Luís Soares condenado ao pagamento de multa

Nuno Sá
PS segura deputado Nuno Sá enquanto não houver provas. “O que há a provar é que não esteve no plenário”