PUB
As escolas… Nem tudo é o que parece!
Quarta-feira, Abril 10, 2019

Caro Leitor,

Como sabem, temos na nossa vila quatro escolas ao serviço das nossas crianças e jovens, e fruto da nossa centralidade servindo também população escolar de outras freguesias vizinhas. Temos a EB 2,3 e as Escolas EB 1 do Pinheiral e Charneca que fazem parte do Agrupamento de Escolas das Taipas e temos depois a Escola Secundária com uma gestão autónoma. E, analisando todos os dados destas escolas e todas as atividades aí desenvolvidas, podemos ter muito orgulho na nossa Comunidade Escolar, desde professores, alunos, pessoal auxiliar e encarregados de educação. Quando pegamos em apenas alguns dos dados e os usamos como arma de arremesso político o mesmo não serve para mais nada do que para denegrir a imagem das escolas, principalmente dos seus professores e dos seus alunos. E isso não é correto!

Mas falemos da EB 2,3, que está mais em foco neste momento pela sua excelência a nível nacional com as suas novas instalações. Aqui há uns anos foi a Secundária que tanto nos orgulhou!

Não podemos analisar as notas dos exames nacionais e por aí avaliar uma escola. Não é pelos exames que se avalia uma escola. Porquê? Porque há escolas que chumbam os alunos antes de os levar a exames nacionais para só por aí obterem melhor lugar nos rankings. Mas um bom aluno e um futuro bom cidadão não se faz só pelas notas dos exames nacionais. Há outros indicadores que depois avaliam uma escola. E tendo em conta todos esses aspetos a nossa EB 2,3 ficou em 2ºlugar no concelho de Guimarães, tanto no ranking dos percursos diretos de sucesso como na menor taxa de reprovações. Usando apenas o ranking dos exames, as escolas com melhores notas nos exames nacionais podem não estar tão bem posicionadas como estão usando só esses dados.

Podemos assim perceber que numa escola básica, com alunos a partir dos 10 anos, há mais vida para além do Português e da Matemática. E na EB 2,3 das Taipas além dos exames há o projeto eco escolas, o clube de proteção civil, o parlamento jovem, onde as Taipas está sempre bem representada, o projeto da biblioteca escolar, desporto escolar, educação para a saúde, o clube de fotografia, o clube de robótica e o plano nacional de leitura. Não sei se falha algum, mas estes só por si já chegam para justificar o que escrevo acima.

Felizmente, por tudo isto, todos nós conhecemos alunos com percursos diretos de sucesso.

Mas também não é menos verdade que com a abertura da nova EB 2,3, que a todos nos deve orgulhar ao invés de ser usada para arma de arremesso, todos esperamos que a Comunidade Escolar Taipense amplie projetos, atividades e que possamos ter uma melhor Escola. Mas não só pelos exames nacionais.