PUB
As águas termais das Taipas na Exposição Agrícola do Porto (1903)
Quinta-feira, Maio 21, 2020

A crescente importância da exploração das águas termais de Caldas das Taipas, pela Câmara Municipal de Guimarães, está patente pelo facto de terem sido expostas em várias exposições industriais e agrícolas durante os finais do século XIX e durante a centúria seguinte.

Já nos referimos nesta crónica à sua participação na Exposição Industrial de Guimarães em 1884. As águas termais das Caldas das Taipas foram exibidas juntamente com as águas minerais da Companhia dos Banhos de Vizela, na 2ª sala, do 1º andar do Palácio de Vila Flor. Esta importante Exposição Industrial longamente noticiada na imprensa local, regional e nacional da época, foi inaugurada a 15 de junho, ocupando as dependências do Palácio de Vila Flor, cedido pelo efeito pelo seu proprietário António Maria Soares Veloso. Esta Exposição aberta dois meses após a viagem inaugural do comboio que ligou Guimarães à rede ferroviária portuguesa, fecharia as portas ao público a 26 de julho. No Relatório desta Exposição podemos constatar que no ano anterior (1883), a autarquia vimaranense obteve uma receita de 1493$560 réis proveniente de 25830 banhos dos dois balneários das Caldas das Taipas (Relatório da Exposição Industrial de Guimarães de 1884, Porto, Tip. de António José da Silva Teixeira, 1884, p. 74).

Em 1903, as águas termais de Caldas das Taipas estariam presentes na Exposição de Produtos Agrícolas, realizada no Palácio de Cristal, da cidade do Porto. Esta exposição de produtos agrícolas e águas minerais foi inaugurada a 17 de agosto de 1903, pelo Rei D. Carlos. Este certame ocupou as três naves e as galerias do antigo palácio de cristal. Esta exposição largamente referenciada e publicitada pela imprensa nacional da época, foi organizada por uma comissão presidida pelo Visconde de Guilhomil, igualmente presidente da direção do Palácio de Cristal.

Com o intuito da autarquia vimaranense publicitar as águas termais de Caldas das Taipas e o seu edifício termal (“Banhos Velhos”), a autarquia em reunião de câmara autoriza o dispêndio de 46$500 réis relativos ao custo dos impressos relativos às águas do estabelecimento termal, que foram distribuídos aos visitantes da Exposição Agrícola do Porto, à qual a municipalidade concorrera.

Em suma, através da participação ativa das águas minerais das Taipas, na Exposição Agrícola do Porto, de 1903, e com a distribuição de impressos publicitários das mesmas, a Câmara Municipal de Guimarães proporcionava uma maior visibilidade e competitividade da indústria termal desta povoação no panorama regional e nacional.