PUB
Vítor Ferreira quer ganhar a câmara com a “zona norte”
Sexta-feira, Setembro 25, 2009

António Magalhães foi o alvo preferencial na noite de campanha organizada pelo PSD na vila, reunindo na mesma sala várias candidaturas do partido.

O candidato social-democrata, Vítor Ferreira, veio às Caldas das Taipas na noite de sexta-feira, 25 de Setembro, não só apelar ao voto na sua candidatura, mas também na líder do partido, Manuela Ferreira Leite. Aquela era a última noite de campanha antes das eleições legislativas de domingo.

O discurso de Vítor Ferreira centrou-se nas propostas que defende para o concelho e para aquilo que define como a “centralidade norte do concelho”, ao mesmo tempo que apontava aquilo que o distingue de António Magalhães – actual presidente da Câmara Municipal de Guimarães.

A sala da EB 2,3 encheu-se com apoiantes de Vítor Ferreira e de várias outras candidaturas do partido em freguesias adjacentes a Caldelas. O tom dominante era o laranja, com t-shirts e bandeiras do PSD. O candidato social-democrata iniciou o seu discurso agradecendo o “calor humano”.

Enquanto que se lançavam duras críticas a António Magalhães, acusado de ter “tiques de ditador”, e de ter “falta de honestidade democrática”, por não ter aceite os resultados das últimas eleições, como referiu José Manuel Antunes, presidente da Comissão Política Concelhia.

Mas a tónica era a centralidade de Taipas e Ponte e Vítor Ferreira chegou mesmo a pedir a união de todas as freguesias do norte do concelho para dar vitória ao PSD e assim retirar o poder ao Partido Socialista. “As freguesias da zona norte poderão fazer a diferença” – disse o candidato.

A Capital Europeia da Cultura (CEC), em 2012, foi também apontada como um dos pontos de clivagem entre o PSD e o PS. Vítor Ferreira disse que a CEC deveria ser uma oportunidade para todo o concelho e não só para a cidade. Disse ainda que o dinheiro que o PS pretende gastar nos chamados 5 Projectos deveria, em vez disso, ser canalizado para a zona norte.

Em termos de promessas eleitorais Vítor Ferreira garante que se for presidente deverá trabalhar na despoluição do rio “prometida pelo PS há tantos anos” e ainda no alargamento do parque para Ponte, não se referindo curiosamente ao alargamento proposto por Constantino Veiga – o candidato de Caldelas pelo PSD.

Outro dos pontos focados foi a política de gestão do orçamento camarário. Ferreira diz que vai “partir o bolo do orçamento da câmara em quatro fatias”. Uma delas, diz, será para a zona norte e promete vir negociar o tamanho da “fatia” directamente com as populações.

Ainda dentro do orçamento, Vítor Ferreira prometeu baixar impostos como o IMI e as taxas da câmara. “A câmara devia ter vergonha! Enquanto que a maior parte das famílias vê o seu orçamento a diminuir, a câmara teve um aumento de 38% nas receitas” – sustentou o candidato.

Após as intervenções, os presentes na sala saíram do recinto da escola e organizaram-se em caravana, fazendo campanha eleitoral pelas ruas e estradas da vila e da “zona norte” de Guimarães.

Texto: Paulo Dumas

Artigos Relacionados