PUB
“Homem prevenido vale por dois”
Terça-feira, Dezembro 2, 2008

No ano de 2004 o PSD de Guimarães anunciou como sua primeira prioridade de política autárquica “ o emprego”.

Não estaria certamente a adivinhar a presente crise financeira internacional, nem a sua implicação no crescimento económico do País. Estava sim a antecipar os efeitos da crise originada pela reconversão industrial e a consequente implicação no aumento de desemprego no nosso Concelho.

Hoje, como todos sabemos, e muitos infelizmente sentem na pele, o desemprego no nosso Concelho é sensivelmente o dobro da média nacional.

Tínhamos razão quando em 2004 definimos o emprego como a nossa primeira preocupação e prioridade política. Em principio quem antecipa os problemas prepara-se melhor para os enfrentar. É verdade que o eleitorado não nos reconheceu esse mérito, mas também é verdade que esse facto não nos retirou a razão.

Hoje a falência de empresas já não é notícia de primeira página, as famílias vimaranenses têm crescentes dificuldades em gerir o seu quotidiano, preocupadas que estão em garantir o seu emprego, em cumprir com a prestação da casa, com a educação dos seus filhos, com os custos da saúde e mesmo com as despesas correntes da água, electricidade e gás.

O orçamento Municipal para 2009 está em fase de execução e em breve de discussão. É esta a oportunidade de a Câmara Municipal demonstrar que está atenta e se preocupa com a vida cada vez mais difícil dos seus munícipes. Se cada um de nós tem que viver com menos dinheiro a Câmara também terá que o fazer.

Lembro algumas das propostas do PSD no seu programa eleitoral nas últimas eleições. Diminuir a derrama em sede de IRC para as empresas em cerca de 20%, proposta que a maioria socialista tomou, e bem, de empréstimo. Diminuir o IMI, Imposto Municipal sobre Imóveis no caso de aumento exagerado das receitas futuras dada a nova fórmula de tributação. É hoje do conhecimento público que as receitas do IMI em 2007 cresceram cerca de 30% em relação ao ano de 2004, aliás de acordo com a previsão que sustentou a nossa proposta. Diminuir em 50% o encargo das milhares de famílias que por força da extensão das redes de água e saneamento estão hoje a receber orçamentos de ligação às mesmas de milhares de euros.

É óbvio que estas propostas têm impacto no orçamento de receitas da Câmara Municipal, mas tal como as famílias e as empresas, também a Câmara terá que aprender a fazer o mesmo com menos recursos.

O PSD teve a capacidade de antecipar a actual crise económica e social no Concelho e terá, caso os vimaranenses assim o queiram, a capacidade de contribuir à escala autárquica para a solução da mesma.

26