PUB
  SAÚDE   Vacinação anti-tetânica. Porquê?
Terça-feira, Dezembro 2, 2008

O tétano é uma doença grave causada pela toxina produzida por uma bactéria, a Clostridium tetani. Essa bactéria é encontrada no ambiente (solo, pedras, esterco, superfície de objectos) sob uma forma extremamente resistente, o esporo. Quando contamina ferimentos, sob condições favoráveis (presença de tecidos mortos, corpos estranhos e sujeira), torna-se capaz de produzir a toxina, que actua em terminais nervosos, induzindo fortes contracções musculares.

A toxina tetânica fixada nas células nervosas bloqueia a transmissão dos impulsos inibidores dos neurónios, produzindo prolongados espasmos musculares, tanto dos grupos flexores como dos extensores com predominância dos flexores. No tétano avançado irão predominar as contracturas de flexão.

A transmissão ocorre pela introdução dos esporos numa solução de descontinuidade (ferimento), geralmente do tipo perfurante, contaminado com terra, poeira, fezes de animais ou humanas. Queimaduras podem ser a porta de entrada devido à desvitalização dos tecidos. A presença de tecidos necrosados favorece o desenvolvimento do agente patogénico anaeróbio.

Ao contrário do que muitos pensam, o tétano não está associado apenas com objectos enferrujados. O problema é que os esporos deste microrganismo só se desenvolvem em ambiente anaeróbio (em ausência de oxigénio). Portanto, um objecto de ferro como um prego, pode fazer um ferimento mais profundo, facilitando o surgimento das condições ideais de desenvolvimento dos esporos. Porém, ferimentos superficiais, também podem propiciar condições favoráveis ao desenvolvimento do Clostridium tetani.

O começo dos sintoms é lento; inicialmente há o aparecimento de rigidez muscular, especialmente do queixo e pescoço. Quarenta e oito horas depois, a doença está definida, apresentando-se no rosto, hipertonia dos músculos da face (trismo – dificuldade em abrir a boca e, riso sardónico – contracção dos músculos da face) e disfagia (dificuldade em engolir). Surge ainda inquietude, hiperirritabilidade, dor de cabeça, calafrios, dor nas extremidades e espasmos. A hipertonia dos músculos do pescoço também é marcante, tal como a posição de epistotónus (arqueamento das costas). A rigidez muscular progressiva, atinge ainda os músculos abdominais (abdómen em tábua) e o diafragma, levando à insuficiência respiratória e morte

As contracções mais fortes podem romper os músculos e partir os ossos, podendo também haver deformidades torácicas, infecção bacteriana e complicações pulmonares.

O tétano é uma doença imunoprevenível. Como não é possível eliminar os esporos do Clostridium tetani do ambiente, para evitar a doença é essencial que todas as pessoas estejam adequadamente vacinadas. Grande parte da população adulta nunca recebeu, ou desconhece que tenha recebido, a vacina contra o tétano e precisa, portanto, receber o esquema vacinal completo. Independentemente do esquema vacinal estar completo ou não, a limpeza do ferimento com água e sabão, e a retirada dos corpos estranhos (terra, fragmentos de madeira) é essencial, até para evitar infecção secundária com outras bactérias. Para as pessoas não vacinadas, é importante completar a vacinação antitetânica. Como não é possível eliminar os esporos da bactéria causadora do tétano, do meio ambiente, para evitar a doença é essencial que todas as pessoas sejam adequadamente vacinadas.

Podem existir reacções adversas â vacina, como em qualquer outra, mas as reacções são habitualmente brandas, quando ocorrem. As mais comuns (dor, vermelhidão e formação de um nódulo) são relacionadas ao local de aplicação da vacina, que é intramuscular. Eventualmente, pode ocorrer febre nas primeiras 72 horas após a vacinação. Podem também ocorrer reacções alérgicas graves (anafilaxia) sendo que estas são muito raras.

26