PUB
“Vimágua está a fazer um excelente trabalho”, assegura Magalhães
Sexta-feira, Outubro 24, 2008

As questões levantadas pela bancada de vereadores do PSD a propósito da gestão da Vimágua dominaram grande parte do período antes da ordem do dia da segunda reunião de Outubro do executivo vimaranense.

Agora à frente dos social-democratas, José Manuel Antunes apontou aquilo que considera serem “erros de gestão” na empresa responsável pelo abastecimento de água dos municípios de Guimarães e Vizela e que estarão na base da “difícil condição de viabilidade económica e financeira da Vimágua”.

Na opinião do vereador, houve falta de concorrência nos concursos e por isso inflação nos preços das empreitadas; falta de planeamento entre a Vimágua e a Águas do Ave; má programação de investimentos; entre outros aspectos.

O líder social-democrata referiu-se ainda às facturas “empoladas” que estarão a ser emitidas por aquela empresa, considerando essa prática como “ilegal e imoral”. Trata-se, ainda segundo o mesmo político, de um “acto desesperado de obter receitas por via ilagal”.

Da parte do Partido Socialista, foi Domingos Bragança quem começou por assegurar que a Vimágua está a atravessar uma fase de bom equilíbrio financeiro, tendo atingido os objectivos a que tinha proposto em termos de cobertura das redes de abastecimento de água e de saneamento de águas residuais.

No que toca às facturas, Domingos Bragança explicou que, nos casos referidos como “empolamento”, tal mais não é do que um cálculo do consumo por estimativa, nos casos em que não é permitida a leitura do respectivo contador da água. Disse ainda que este é um procedimento habitual noutras empresas e que é perfeitamente legal.

A este respeito António Magalhães, que é também presidente da Assembleia-Geral da Vimágua, assegurou que aquela empresa não está a fazer mais do que aquilo que é determinado no Regulamento, que foi votado na Assembleia Municipal. Assegurou que esta forma de leitura por estimativa “é uma prática regular e que assim irá continuar”.

A propósito da crise económico-financeira os vereadores Vítor Ferreira e Ana Guimarães, do PSD e CDU respectivamente, defenderam ser uma boa altura para aliviar as finanças das famílias, diminuindo a carga fiscal pelo Imposto Municipal sobre Imóveis. António Magalhães adiantou que uma das novidades do próximo Orçamento Municipal para o ano de 2009 será a baixa daquele imposto.

Texto: Paulo Dumas

Artigos Relacionados