PUB
  POLÍTICA   Concentre-se a concentração Motard no Parque de Campismo
Domingo, Agosto 3, 2008

Não tenho nada contra Motard(s), motoqueiros ou outros cidadãos auto mobilizados em máquinas de duas rodas ou três rodas. Nada tenho, também por isso, contra as concentrações Motard(s).

Entendo que a organização de uma concentração nas Taipas poderá ser um benefício para a “terra” caso a realização do evento fosse pensada, estruturada e organizada em articulação com a autoridade administrativa local – Junta de Freguesia. A realização do evento por si não constitui um benefício automático, nem para a vila nem para o comércio local.

Da forma como tem vindo a ser organizada a concentração, a mesma redunda em prejuízos para as populações e para o comércio. As razões desse prejuízo são as seguintes:

1. Encerramento da entrada pelo Príncipe Parque;

2. Encerramento e com consequente fecho, com barreiras, da entrada e consequente circulação na Avenida do Parque; (Alameda Rosas Guimarães);

3. Pagamento de bilhete para ter acesso ao recinto (parque de lazer);

4. Impedimento geral, por forma livre, do uso, pelos Taipenses e visitantes, do Parque de Lazer durante dois dias;

5. A exploração comercial, dos espaços públicos por parte de uma associação que não está sediada nas Taipas – note-se que se instalam dentro do parque de lazer “barracas” que vendem alimentação e bebidas e que pagam o lugar à associação organizadora;

6. Ausência de contrapartidas gratuitas – espectáculos musicais ou outros – para as e populações;

7. A destruição pura e simples da vegetação que ainda vai subsistindo – os camiões e as carrinhas dos comerciantes têm acesso, via parque de campismo, ao parque de lazer onde estacionam em cima das zonas reservadas às plantas;

8. Note-se que o Restaurante Príncipe Parque tem que encerrar, nesse fim-de-semana e o Restaurante Alameda Parque queixa-se que o fim-de-semana da concentração Motard significa prejuízo e perda de clientes.

Com efeito, a Câmara Municipal de Guimarães apresta-se a autorizar, mais uma vez e sem ouvir a Junta de Freguesia, a realização de mais uma concentração motard de Guimarães, no parque de lazer das Taipas. É mais uma pedra, “trajaninho”, que o Presidente da Câmara atira contra as Taipas.

A concentração implica a “privatização total do parque” sem contrapartidas para o interesse público, durante um fim-de-semana, e a sua consequente espoliação da população. Benesses destas também a querem todas as associações das Taipas.

Face aos prejuízos apontados, estranha-se o silêncio sistemático da Cooperativa Taipas Turitermas que sofrerá, certamente, um dano com a realização do evento da forma como tem sido montado: é que, caso esteja um excelente dia de Verão, o que não é hipótese de se afastar por estarmos na 1.ª semana de Setembro, a frequência da piscina diminui drasticamente por causa das restrições nos acessos.

O silêncio da Turitermas só pode ser entendido como aceitação incondicional da realização do evento. Podia a Turitermas, já que se mostra indiferente às perdas com a realização do evento, disponibilizar o Parque de Campismo, que não é necessário fechar, para aí e só aí, ter lugar a concentração Motard.

Talvez, não garanto, tendo lugar a concentração Motard no Parque de Campismo, se evitasse que o cidadão anónimo, na maioria Taipenses, que tenta frequentar um dos estabelecimentos sitos na Avenida do Parque, não fosse incomodado e interpelado por um Motard gordo, sujo, sebento, vestido de couro preto da cabeça aos pés, acerca das suas intenções de circulação na Avenida do Parque.

Viva a concentração Motard nos locais onde não sejam um estorvo para o cidadão.

As Taipas têm esse lugar que não é, seguramente, o Parque de Lazer.

26