A comunidade dos blogs
Quarta-feira, Dezembro 12, 2007

Em 2007 completou-se dez anos do nascimento do primeiro blog. O Scripenews surgiu em Abril de 1997 e é considerada a primeira aventura no mundo da World Wide Web (surgida em 1990, por Tim Berners-Lee).

Como não faz mal um pouco de pesquisa e de história fica também registado que esse blog foi criado por Dave Winer e ainda está visível em https://scriptnews.blogspot.com/

No início, o termo mais utilizado era weblog, a primeira referência é de Jorn Barger e está datada de Dezembro de 1997. Actualmente, a designação mais comum deixou cair as duas primeiras letras. Em dez anos registou-se uma autêntica explosão de registos. Qualquer cibernauta já terá criado o seu blog, mais não seja levado pela simples curiosidade de criar algo, mesmo que nunca tenha passado do primeiro post.

Para este boom de blogs muito contribuiu a criação, em 1999, do blogger.com e do blogspot.com que permitiu alojar gratuitamente todos os blogs criados por essa ferramenta. Se o primeiro blog português pode ser encontrado em Março de 1999 (Macacos Sem Galho) ou Outubro desse mesmo ano (Dee´s Life), a blogosfera portuguesa explodiu em 2003.

Para esse facto muito contribuiu José Pacheco Pereira com o seu Abrupto (https://abrupto.blogspot.com ). A entrada de políticos, de jornalistas e de outras figuras mediáticas na blogosfera abriu as portas para este novo mundo possibilitado pela Web.

Podemos considerar natural que este fenómeno também acabasse por chegar à vila das Taipas. Como é natural, não nos atrevemos a apontar qual terá sido o primeiro blog criado em Caldas das Taipas. Mas desde já lançamos o repto para quem desejar contribuir para a história dos weblogs do nosso meio. Podem enviar para alfredo@reflexodigital.com o nome e a respectiva data de criação daqueles que entendem que poderão ter sido os primeiros blogs.

Para além do aspecto histórico, o que é um facto é que o mundo dos blogs permitiu uma democratização da escrita. Qualquer pessoa, em meia dúzia de passos e gratuitamente, pode criar algo que é seu, que pode gerir autonomamente e sem as dificuldades da criação e gestão de um site. Deste modo, pode colocar no momento e num espaço visível por milhões de pessoas (ou umas dezenas) tudo aquilo que lhe vai na alma sem qualquer censura.

Fazendo uma viagem pelos blogs existentes na vila vemos que alguns partem para a crítica social e política do meio; outros são quase como um diário; outros preservam memórias e registos familiares, misturados com outros pensamentos; uns mais politizados, outros musicais e ainda os que estão ao serviço da educação.

O principal problema dos blogs, tal como em muitas outras iniciativas, não é o da sua criação, mas sim o da sua manutenção.

Nota: O trabalho de pesquisa baseou-se no seguinte livro:
Barbosa, Elisabete e Granado, António. Weblogs: Diário de Bordo. Porto Editora, 2004.