PUB
  POLÍTICA   Defesa da honra
Quinta-feira, Agosto 2, 2007

“Ficou mais uma vez patente que o ambiente entre alguns deputados do PS e a Junta de Freguesia é de “cortar à faca”, pouco recomendável e no limiar do ridículo. É questionável, a continuar assim, se estes intervenientes são credíveis de respeito pelo órgão de soberania desta vila”.

Termina assim o relato jornalístico da última assembleia de freguesia publicado no site do jornal Reflexo (www.reflexodigital.com).

Embora reconheça que o ambiente das últimas assembleias está, como nas palavras do jornalista, “de cortar à faca” e, em alguns momentos “no limiar do ridículo”, creio que a notícia (ou, se quiserem, crónica) poderá levar os leitores que não estiveram presentes na assembleia a tirarem conclusões erradas.

Na verdade, da leitura desta notícia, alguns poderão ser levados a pensar que o jornalista, quando se referiu a intervenientes que talvez não mereçam o respeito do órgão de soberania da vila, se poderia estar a reportar a elementos do PS.

Ora, impõe-se, aqui e desde já, fazer este esclarecimento, repudiando de todo e veementemente, esta interpretação da notícia.

Com efeito, nunca nenhum membro do PS insultou ou ameaçou qualquer membro da Assembleia de Freguesia ou da Junta… nunca nenhum membro do PS levantou insinuações infundadas e mentirosas sobre coisas que não sabe… nunca nenhum membro do PS fez mais do que todos os dias se assiste nos debates na Assembleia da República, onde, por vezes, o debate político é duro, mas sempre dentro dos limites da boa educação, de alguma elevação e do respeito pelas diferenças de opinião… poderão outros dizer o mesmo?

Agora, o que se constata é que o executivo conta sempre que a oposição não prepare as assembleias e não esteja dentro dos assuntos, como acontecia no passado recente, quando o PSD estava na oposição. Depois, são surpreendidos com questões e factos que os deixam desarmados e, já se sabe, há falta de argumentos, partem para a arruaça e o insulto.
O Reflexo já reparou que o executivo se dá ao luxo de não responder à maior parte das simples e directas questões que lhe são colocadas? E que o presidente da Assembleia nada faz em relação a isso, limitando-se a assistir à sessão serenamente?
Pena é que o cronista nada tenha dito acerca disto e que não tenha tido a coragem de relatar aquilo que pôde assistir, nomeadamente os insultos e ameaças proferidas, a membros da Assembleia, por parte do presidente e tesoureiro da Junta…

Post Scriptum – O último artigo de opinião do presidente da mesa da Assembleia de Freguesia não veio publicado no jornal, mas apenas na edição on line e, nele, pode ver-se um apelo à união e colaboração entre a Junta, a Turitermas e as associações da vila. Entende o senhor presidente da mesa que serão estes os pilares para o desenvolvimento e crescimento da vila. Concordo plenamente!
Contudo, os constantes ataques e acusações lançados pelo presidente da Junta à Cooperativa Turitermas (que se repetiram mais uma vez nesta última assembleia de freguesia), bem como a histórica discriminação das associações da vila, entre aquelas que têm dignidade para participar no acto religioso procissão de S. Pedro e as outras, menores, que não a têm, demonstram claramente que não é esse o caminho que o executivo da freguesia pretende seguir e, assim sendo, está tudo dito…