PUB
  POLÍTICA   Parque de Campismo – repor a verdade
Sábado, Julho 1, 2006

Na última edição deste jornal, li com especial atenção a sempre bem redigida crónica do Dr. Manuel Ribeiro.
O seu artigo versou sobre o parque da vila e, mais concretamente, sobre o parque de campismo.

No entanto, algumas coisas aí foram escritas que não correspondem inteiramente à verdade e que me cumpre, aqui e agora, esclarecer.
Em primeiro lugar, ao contrário do que aí foi afirmado, o parque de campismo não funciona dois meses por ano, mas quatro, de 1 de Junho a 30 de Setembro.

Em segundo lugar, relativamente à acusação
de falta de qualidade daquele espaço e de perda de clientes, os números falam por si. As contas aprovadas, na última assembleia geral da cooperativa, confirmam que o número médio de campistas se tem mantido praticamente o mesmo, desde 2003 para cá. A conclusão a tirar, assim, é a de que o parque de campismo da nossa vila está de boa saúde e que há campistas, portugueses e estrangeiros, que se afeiçoaram de tal forma a esta terra que são “clientes” habituais há bastantes anos, quando, como é certo e sabido, se regista, a nível geral, uma certa tendência para a diminuição dos utilizadores deste tipo de espaços.

Está certo o signatário do citado artigo quando afirma que eu apresentei, na campanha eleitoral, um projecto para o alargamento do parque da vila. Todavia, o desafio que me lança para avançar com esse projecto deverá ser lançado não a mim mas à pessoa que venceu as eleições e que terá de demonstrar que tem capacidade para executar essa obra.

É certo que todos nós gostaríamos de ver o espaço do parque de campismo aberto, durante o ano, para que se aumentasse a área de lazer do parque da vila. Contudo, a preocupação com a segurança e a manutenção dos equipamentos e edifícios daquele espaço impedem-nos de assumir esse risco.

Por fim, e como responsável máximo pelo parque de campismo, devo publicamente esclarecer que aquele espaço sempre esteve, está e estará disponível, gratuitamente, para quaisquer iniciativas levadas a cabo, quer por instituições públicas, quer privadas, sempre que as mesmas se revistam de interesse para a vila. Aliás, o Dr. Manuel Ribeiro é sabedor disto mesmo, uma vez que, ainda no passado dia 8 de Abril, participou num torneio de petanca, organizado pelo C.A.R.T., nas instalações do parque de campismo.

26