“MAYDAY! MAYDAY!”
Segunda-feira, Agosto 8, 2005

É a única coisa que se pode pedir num país que tem tido, até à data, um Governo que tomou decisões difíceis e necessárias, mas que, ao mesmo tempo:

• Continua vergonhosamente a mostrar (des) interesse pelo país que continua a arder;
• Ouve um milionário, para este apresentar uma proposta de construção de uma central nuclear de terceira geração. Embora seja considerada uma «energia limpa», já ninguém a usa pelos perigos que acarreta em relação aos resíduos radioactivos, aos quais, até hoje, ninguém sabe dar destino definitivo;
• Teima em querer enterrar-se economicamente com a criação de “elefantes brancos”, como o novo aeroporto da OTA e o Comboio de Alta Velocidade (TGV). Lembro que na altura do Primeiro-Ministro, Dr. Durão Barroso, manifestei a minha posição contra essas obras não urgentes, mesmo até desnecessárias, para o nosso país;
• Renova uma frota automóvel no Banco de Portugal, revê salários e pensões mas, ao mesmo tempo, pede contenção aos Portugueses;
• Efectua nomeações como os outros o fizeram. Tomemos, como exemplo, a GALP;
• Etc…
• Etc…

Por toda esta imagem que os Portugueses têm do país, no geral, e de uma classe política, no particular, e pelo facto de estarmos praticamente em período pré-eleitoral, este é o último artigo de opinião que escrevo. Obrigado a quem leu os anteriores.

A minha participação activa na vida política termina em Setembro. Não faço parte de nenhuma lista política concorrente à Assembleia de Freguesia de Caldelas, nas Eleições Autárquicas de Outubro, nem participo em nenhum tipo de campanha.
A participação passiva, passará a ser um pouco igual à de muitos cidadãos que sempre exigiram e nunca fizeram rigorosamente nada, do tipo “não sou de cá, só vim ver a bola”. E digo um pouco igual, porque também vim de fora, só que fiquei e já fiz alguma coisinha.

Pê éSses finais:

Em relação às festas da Vila, é ponto de honra dizer que gostei e quero dar os parabéns à Junta de Freguesia pela excelente organização, em particular ao seu Tesoureiro, Arquitecto Constantino Veiga, pela sua entrega e capacidade de organização e inovação e também a todas as associações que ajudaram na sua realização. Foi com gosto que verificamos que este ano mais ruas da Vila foram contempladas com decorações e/ou música.

É da mais elementar justiça, endereçar um agradecimento a todos os BOMBEIROS, que continuam desvelada e abnegadamente a dar a vida pelos outros. OBRIGADO!!!

pauloix@clix.pt