PUB
“Hamlet Talvez” – uma viagem ao interior do indivíduo contemporâneo
Sábado, Novembro 21, 2015

O texto de William Shakespear é tratado à luz da interpretação de João Garcia Miguel. “Hamlet Talvez” é apresentado este sábado, 20, no Centro Cultural Vila Flor.

A Companhia de Teatro João Garcia Miguel apresenta este sábado, 21 de Novembro, a encenação de Hamlet de William Shakespear. O encenador aborda o texto clássico deste drama, numa perpectiva que sublinha uma componente religiosa, que comtempla a vida e os seus enigmas.

Esta é, portanto, uma interpretação de Hamlet que espia o interior do ser humano, aquilo que é perscrutável na sua existência e na sua natureza.

A arte de João Garcia Miguel usa Hamlet também como forma de resistir ao desaparecimento da alma, um conceito que parece cada vez mais arredado do léxico da vida contemporânea. De resto, há a obsessão, a vingança e a paranoia, num retrato do que pode ser da existência individual e da vida contemporânea.

A Tragédia de Hamlet, Príncipe da Dinamarca foi originalmente escrito por William Shakespear (1564-1616), na viragem para o século XVII e é um dos textos para teatro mais utilizados e adaptados. O texto original conta a história de uma vingança de Hamlet sobre o seu tio, que assassinou o seu pai, casou com a sua mãe e apoderou-se do trono do reino da Dinamarca.

A peça será apresentada no Grande Auditório do Centro Cultural Vila Flor, às 22 horas. Os ingressos estão à venda por 10 euros (7,5 euros com desconto). No final do espectáculo João Garcia Miguel estará no foyer do Grande Auditório numa conversa com o público.