PUB
“O Plano de Atividades e Orçamento 2015 plasma as receitas que podem ser cobradas”, Domingos Bragança
Segunda-feira, Novembro 10, 2014

O presidente da Câmara Municipal de Guimarães rejeita as críticas de contenção apresentadas pela oposição.

“Gostaríamos de apresentar um orçamento com um valor mais elevado mas para isso teríamos de recorrer a empréstimos bancários e endividar a Câmara”, justifica.

Domingos Bragança salienta o facto de se viverem momentos de transição para o quadro comunitário de 2014/2020, “o qual ainda não aceita candidaturas e o financiamento da Câmara baseia-se e muito nesses apoios comunitários”.

Em linhas gerais, o presidente da Câmara frisou a aposta no desenvolvimento das freguesias que reterão “mais de 70% do investimento camarário” que será feito de uma “forma harmoniosa e não há nenhuma freguesia que não venha a ter uma obra acordada com a Câmara”.
Discorda da transferência de verbas diretamente para as freguesias fora dos contratos interadministrativos, “porque as próprias freguesias não têm a estrutura técnica para a realização de obras de grande vulto”.
Para além das tradicionais apostas na cultura, desporto, educação, o novo rumo para Guimarães será a aposta na economia, criando “condições para sermos um território produtor de ciência e conhecimento e que seja transferível para a sociedade e para a economia, acentuando a competitividade do concelho”, concluiu Domingos Bragança.