PUB
“Ode Marítima” de Álvaro de Campos e Sérgio Godinho em destaque
Domingo, Maio 18, 2014

A interpretação de Diogo Infante e João Gil para a “Ode Marítima” e os quarenta anos da democracia cantados por Sérgio Godinho merecem o destaque cultural dos próximos dias

Com música original de João Gil e interpretação de Diogo Infante, sobe ao palco da Casa das Artes de Famalicão, nos dias 23 e 24 de maio, pelas 21h30min, o texto do heterónimo de Fernando Pessoa. Trata-se de um projeto iniciado em 2012 e que teve estreia no Teatro S. Luiz, em Lisboa, e já passou pelo Teatro Nacional São João, no Porto. Numa entrevista à Lusa, o ator, que completa 25 anos de carreira, considerou esta sua aventura pelo mundo de Pessoa como a mais difícil da sua carreira.

Sérgio Godinho estará no Theatro Circo, em Braga, para rever, através do seu reportório, os quarenta anos do Portugal democrático, num espetáculo intitulado “Liberdade”. A canção mote deste concerto, “Liberdade”, estava incluída no álbum “À Queima-Roupa”, editado em 1974. Liberdade é a palavra que Sérgio Godinho mais defende e já nessa altura cantava que “só há liberdade a sério quando houver / a paz, o pão / habitação/ saúde, educação/ Só há liberdade a sério quando houver/ Liberdade de mudar e decidir”.
O concerto está marcado para o dia 22 de maio, pelas 21h30min.

Artigos Relacionados