Hóquei em Patins | Policiamento deixa de ser obrigatório
Sexta-feira, Novembro 15, 2013

Terminou o braço de ferro que opunha o CART à Federação Portuguesa de Patinagem. O policiamento deixa de ser obrigatório nos jogos de hóquei em patins.

Uma deliberação da Direcção da Federação de Patinagem de Portugal (FPP) vem colocar um ponto final nas dúvidas que persistiam relativamente à obrigatoriedade, ou não, de requisição de policiamento nos jogos de hóquei em patins e terminar, assim, com o braço de ferro que o CART mantinha com esta instituição.

Recorde-se que, desde início da corrente temporada, o CART requisitava segurança privada para os seus jogos em casa, contrariando o estabelecido no Regulamento Geral de Hóquei em Patins mas, segundo o que sempre defenderam os seus dirigentes, de encontro àquilo que previa a legislação em vigor.

A FPP refugiou-se sempre nas dúvidas que a referida lei suscitava e na falta de esclarecimentos que havia solicitado, em tempo oportuno, às entidades responsáveis, nomeadamente ao Ministério da Administração Interna.

Esta posição do CART, intransigentes na decisão da sua Direcção, pode ter acelerado uma tomada de posição da FPP que agora vem retirar a obrigatoriedade de requisição de força policial para os jogos da 1ª e 2ª divisão nacional (os da 3ª divisão já funcionavam desta forma), substituindo esta pela possibilidade de recurso a “empresas de segurança privada, com o respectivo Alvará de actividade devidamente emitido pelo Ministério da Administração Interna e os vigilantes com formação e condições exigidas para o desempenho da função de Assistente de Recinto Desportivo”.

Esta decisão garante, desde já, a realização da partida CART – Infante Sagres agendada para o próximo Sábado (18 horas), no pavilhão taipense.