O “A” de agosto foi de barco
Terça-feira, Agosto 7, 2012

Agosto. És o mês do sol, da praia e dos vestidos curtos, o mês em que as equipas dão as últimas afinações nos seus plantéis e quando as esplanadas estão cheias. Curiosamente, Agosto, és também o mês que antecede Setembro, e segundo o novo acordo ortográfico, vais deixar de ser escrito com a inicial maiúscula, por isso, a partir deste momento ficas a ser simplesmente agosto. Quanto ao resto, mantenho por opção, a escrita antiga, a que me ensinaram.

E já agora, agosto, para tua felicidade, e minha também, és o mês do Barco Rock Fest, para os amigos, BRF.

Em ano de Capital Europeia da Cultura, e fazendo parte integrante da programação, o BRF apresenta em 2012 vários pontos de interesse, a começar pela já eficiente e experiente estrutura humana que lhe serve de alicerce.

A abertura do certame com um concerto de tributo a Pink Floyd parece-me de todo adequada. Considerados inquestionavelmente como uma das maiores bandas de todos os tempos, nada como um desfilar dos seus maiores êxitos para dar as boas-vindas aos presentes. Os Guimafloyd, banda de Guimarães que terá a grande responsabilidade de interpretar os temas da banda de Waters e Gilmour, é um grupo composto por elementos que misturam experiência e maturidade com juventude e irreverência. Com uma técnica musical acima da média, estou convencido que não vão defraudar os mais exigentes fans de Pink Floyd, um concerto, portanto, a não perder.

Içada a âncora, o barco ruma sustentado por três marés no mesmo oceano. O oceano é claramente a aposta no alternativo, conceito este que apesar de discutível, caracteriza o que não é mainstream, possivelmente esta é uma definição simplista e básica mas que considero eficaz, resumida.

Por um lado, a aposta em novos valores emergentes do panorama nacional, onde, pessoalmente, destaco os barcelenses Alto! e os Nice Weather for Ducks, de Leiria. No entanto, há mais pontos de interesse nesta maré como
O Bisonte, Laia e La la la Ressonance, sem esquecer claro, os Supernada do mais que conhecido Manel Cruz.

Last Internationale e 2:54 são as apostas internacionais para este ano. Se da banda numérica o conhecimento traduz-se apenas em algumas audições e visualizações no youtube, o mesmo já não posso dizer dos primeiros. Nova-Iorquinos, com um elemento de raízes portuguesas (do norte), os americanos são uma banda da qual não tenho dúvidas em apostar que no futuro muito ouviremos falar deles. Influenciados por um rock n’ roll caracterizado, assente em influências folk os Last Internationale irão dar concerteza um dos grandes concertos do BRF 2012.

Por fim, os consagrados. Alternativamente, pois claro. Dead Combo e d3ö, sem nada a terem que provar, com presença e carácter em palco, irão provavelmente nos presentear com os concertos desta edição.

Vejo o cartaz do BRF 2012 como o mais equilibrado de todas as edições, ponderado, coerente, assente em princípios e estilo. As bases têm vindo a ser montadas, estruturadas e alimentadas há já uns anos, e eu, passivamente, assisti a tudo isso. Erguido por amadores, sim, porque que eu tenha conhecimento, nenhum elemento da equipa do BRF é profissional na organização de eventos, este festival fez tudo o que estava ao seu alcance para crescer, e cresceu, em certa medida. Sendo na sua larga maioria os leitores deste jornal, pessoas da terra, e na minha óptica o BRF, um festival da terra, que muito ainda pode vir a dar a esta mesma terra, seria sensível, humano e importante, a adesão do leitor, se gostar de música, a este evento, que bem merece.

Espero que este seja o melhor BRF de sempre, há aspectos a melhorar relativamente às anteriores edições, como o cumprimento dos horários previamente estipulados, factor este muito importante para a demonstração para o exterior de um sistema organizativo forte, e acredito que tal irá acontecer.

Para finalizar, acredito que o BRF 12 poderá ser um dos grandes pontos máximos do Guimarães Capital Europeia da Cultura, isto se, os vimaranenses não se esquecerem, que Guimarães é muito mais que o Toural.

Em mês de agosto, deixemos o barco zarpar, deixemos o barco navegar ao sabor das marés até atracar em 2013 para novamente arrancar. A todos os leitores, votos de umas magníficas férias, se for o caso.

Nota I: agosto além de anteceder setembro, também precede julho, curiosamente, pois claro.

Nota II: Tal como fui prevendo nos meus textos ao longo de 2011/12, o Real Madrid de Mourinho foi campeão. Para o ano há mais.