PUB
Já examinou a sua pele hoje?
Segunda-feira, Julho 4, 2011

A pele é o maior órgão do corpo humano e tem a primazia de ser facilmente acessível à observação directa. Com o auto-exame da pele poderá familiarizar-se com as manchas e os sinais do seu corpo. Será ainda possível detectar vários tipos de cancro cutâneo em fases iniciais da sua evolução, de modo a diagnosticar e tratar a lesão o mais precocemente possível.

Todos os indivíduos devem realizar o auto-exame da pele cerca de 2 a 3 vezes por ano. No entanto, há algumas pessoas que o devem fazer mais frequentemente por apresentarem factores de risco: aquelas com pele clara, cabelo louro, olhos azuis, sardas, com história pessoal ou familiar de cancro de pele, história de queimaduras solares na infância, exposição crónica ao sol (por exemplo agricultores, pescadores), etc.

Todos os indivíduos adultos têm um número significativo de lesões pigmentadas: sinais, sardas, manchas… Destas, apenas um número reduzido são de nascença; a maior parte vai surgindo com o envelhecimento. Felizmente muitos são benignos, mas uma alteração recente pode ser o primeiro indício de transformação maligna.

Ao realizar o exame inspeccione todas as partes do seu corpo, não se esquecendo das palmas das mãos e das plantas dos pés, assim como dos espaços interdigitais (espaços entre os dedos). Se tiver dificuldade em observar determinadas zonas, recorra à ajuda de um espelho e para melhor examinar o couro cabeludo use o secador para separar os cabelos.

Para cada lesão ou sinal aplique a regra ABCDE:
A – Assimetria: a forma do sinal ou da lesão é irregular, ou seja, quando dividido a meio as metades não são idênticas.
B – Bordo: o contorno do sinal é irregular, mal delimitado ou recortado.
C – Cor: o sinal não apresenta uma cor uniforme, ou seja, possui várias cores ou tonalidades.
D – Diâmetro: o diâmetro é superior a 5 mm.
E – Evolução recente.

Esta observação periódica da pele é extremamente importante porque se o melanoma – cancro da pele mais grave – for detectado e tratado numa fase inicial apresenta uma elevada taxa de cura. Ao invés, se diagnosticado tardiamente, a taxa de mortalidade é alta pois pode já ter ocorrido invasão dos tecidos saudáveis envolventes ou até mesmo de outras partes do corpo mais distantes.

Deste modo, tenha atenção! Se tiver uma lesão ou um sinal que se modificou nos últimos tempos, que cresce gradualmente, sangra facilmente com pequenos traumatismos, apresenta dificuldade em cicatrizar, prurido (“comichão”), deverá recorrer ao seu médico.

Cuide de si, cuidando da sua pele!