Aproximam-se as eleições para a Junta
Quinta-feira, Abril 30, 2009

No último número de “O Reflexo”, filosofando sobre o mandato de Tino/PSD, eu escrevi que o saldo final do mesmo seria o rotundo fracasso, porque nem a Câmara investiu coisa que se visse, nem os particulares investiram nada. Isto é, nem a iniciativa privada nem a iniciativa pública contribuíram para a realização das promessas apresentadas pelo arquitecto-presidente.

Pois bem, dizem-me que não vai ser bem assim.
Afinal, as Taipas vão ter obras e obras de encher o olho ao eleitor, porque estamos em ano de eleições autárquicas e é conveniente dar bolos… que durem pelo menos até ao dia de votar.

Talvez quem me lê já se tenha dado conta que pela vila circulam fotógrafos estranhos que qual excursão de turistas japoneses fotografam tudo. A estranheza resulta não de eles serem de fora, porque não são, mas porque não estamos habituados de máquina ao peito cá pela terra.

São malta ligada a uma certa candidatura que parece empenhada em competir em promessas com o Tino. Ele vão ser lares para a terceira idade, centros de dia, reabilitação do parque e da piscina, embelezamento do ringue, etc, etc, etc.

O lar para idosos, tanto pode vir a ficar no antigo Hotel das Termas como no que resta da Pensão Vilas, porque há dinheiro a rodos (dizem). De onde vem? Talvez da Câmara, via Turitermas e, claro, se o PS ganhar a Junta.

Do lado do PSD as coisas também estão a mexer. Armando Marques anda numa roda-viva à procura de investidores para a Pensão Vilas, onde o Tino alimenta há muito o sonho de a transformar em Lar de Terceira Idade.

Eu estou a pensar em entrar na corrida. Ainda não sei o que hei-de prometer, mas já sei que vou preparar um programa que anuncie mundos e fundos, sem querer saber de onde vem o dinheiro para fazer as obras. Afinal as eleições nas Taipas disputam-se entre quem tem menos vergonha nas fantasias! E vou dizer que são minhas as obras que os particulares fizerem.

Aviso que já contactei o Berardo, o Amorim e o tio Belmiro e todos me garantiram que se eu ganhar as Taipas vão ganhar um aeroporto, uma marina para iates de luxo e um autódromo para competições internacionais e vem para cá a sede do Governo para fazer pirraça aos de Guimarães.

Mas só se eu ganhar, ouviram bem? Se eu perder esqueçam tudo o que eu disse.