PUB
Ano escolar arranca a 17 de setembro para 18 mil alunos de Guimarães
Ano escolar arranca a 17 de setembro para 18 mil alunos de Guimarães
Alfredo Oliveira
Terça-feira, Setembro 11, 2018

O executivo de Guimarães marcou para a escola do 1º ciclo Nª Sª da Conceição uma sessão para assinalar o arranque do ano letivo 2018/19. Domingos Bragança defende que a educação em Guimarães seja uma referência a nível nacional, com uma forte consciência ecológica.

Coube a José Pinheiro, diretor do Agrupamento Fernando Távora, à qual pertence a escola anfitriã desta sessão, defender a qualidade das escolas concelhias e a aposta sistemática que se tem vindo a fazer numa “escola pública inclusiva”.

Adelina Pinto, vereadora responsável pela pasta da educação, reforçou a ideia do diretor do agrupamento, ao começar por afirmar que Guimarães tem uma política da educação para todos: “As crianças e a educação são uma prioridade para a Câmara Municipal de Guimarães. pretendemos desenhar o futuro do nosso concelho, com adultos mais qualificados e com melhores cidadãos”.

Neste enquadramento, Adelina Pinto fez questão de salientar que o município tem à sua responsabilidade mais de vinte projetos para as escolas e agrupamentos do concelho, vocacionados para diversas temáticas, com destaque para a questão ambiental: “Temos um desígnio maior que a Capital Verde, onde precisamos envolver, desde logo, as crianças; por isso, vamos reforçar o programa Pegadas”. Outra aposta prioritária do município passa pela dimensão cultural através da oferta na Área de Enriquecimento Curricular (AEC) e com o projeto (Re)Conhecer Guimarães. Este último contempla visitas gratuitas aos principais espaços culturais do concelho para todos os alunos, desde o 1º ano até ao 6º ano (Castelo, Paço dos Duques, Centro Ciência Viva, Centro Histórico, Citânia de Briteiros e Casa da Memória/CIAJG).

A vereadora da educação destacou ainda o aumento nas Atividades de Animação e Apoio à Família (AAAF), registando-se para este novo ano letivo 1229 alunos inscritos e 589 alunos na Componente de Apoio Família (CAF), em 29 escolas do 1º ciclo, e apoios dados pela Câmara a esses alunos, a partir das 7h30min e depois das 15h30 até às 19h, com atividades desportivas e artes performativas.
A aposta no ensino profissional e o abandono escolar mereceram ainda atenção por parte da vereadora da educação, nesta sessão realizad no final da manhã, do dia 11 de setembro.

Domingos Bragança viria a terminar esta abertura simbólica do ano letivo defendendo todas as medidas e projetos que promovam uma escola inclusiva e que defendam os princípios do 25 de Abril, como é o caso de uma nova agenda escolar, apresentada nesta sessão.

O presidente da Câmara pretende que a educação seja “uma referência concelhia”, tendo sempre presente medidas que potenciem “uma escola com uma forte consciência ecológica, que reconheça o seu património local e com alunos mais capacitados no final do seu percurso escolar”, acrescentando “que é pela escola que temos a nossa visão do futuro”. Domingos Bragança salientou ainda que é este tipo de escola que leva “as famílias a escolher Guimarães para viverem”. Deixou ainda uma nota para a administração central ao dizer que, quando esta falha, “o município dá a resposta, como é o caso da nova EB 2,3 de Caldas das Taipas”.