PUB
Alguns moradores da Rua 1.º de Maio, em Barco, em isolamento total sem serviço de telecomunicações
Alguns moradores da Rua 1.º de Maio, em Barco, em isolamento total sem serviço de telecomunicações
Sexta-feira, Abril 3, 2020

Alguns moradores da Rua 1.º de Maio, na freguesia de Barco, estão a ter um período de quarentena inusitado, uma vez que não possuem serviço de telecomunicações, nomeadamente internet, televisão e telefone fixo.

O problema já se arrasta, em alguns casos, há duas semanas com a ausência de qualquer serviço. Na realização de uma obra que está a decorrer na referida rua foram derrubados os cabos de telecomunicação, na montagem da grua, e deste então o caso tem-se revelado de difícil resolução.

Um dos moradores contou ao Reflexo a situação, dando conta que já tentou intervir junto dos responsáveis, nomeadamente com “o responsável autárquico pela fiscalização e o próprio presidente da junta de freguesia”.

O referido morador fez saber que para além das naturais necessidades deste serviço em período de isolamento, há prejuízos a ter em conta devido aos moradores que estão a realizar teletrabalho e até outros moradores que, habitualmente, trabalham a partir de casa.

“Os cabos foram deitados abaixo numa obra que está a decorrer no topo da rua. Já foi arranjada outra alternativa terrestre, mas ainda não está acessível a todos os moradores”, refere, acrescentando que o proprietário da obra em questão “solicitou em setembro a troca de local de um poste, dentro do seu próprio terreno, até porque como se encontra atualmente não estará em conformidade com a lei”.

Contactado pelo Reflexo, o presidente da Junta de Freguesia de Barco, Sérgio Silva, disse estar ao corrente da situação, indicando que numa primeira instância o problema foi reparado, estando-se a aguardar por nova reparação após novo derrube dos cabos.

Avançar com a rescisão por justa causa junto do Tribunal Arbitral é a medida que está a ser ponderada pelos moradores da Rua 1.º de Maio, que desesperam pela resolução do seu problema, deparando-se com vários dilemas por parte da empresa de telecomunicações, sendo que as queixas naquela zona da freguesia de Barco são recorrentes.