Agora é possível cumprir
Quarta-feira, Julho 10, 2019

Caro leitor,

Com a tomada de posse deste executivo da Junta de Freguesia em finais de 2017, com todas as verbas do orçamento de 2017 esgotadas e com um ano de 2018 penhorado pelas dívidas que transitavam do executivo anterior, foram possíveis mesmo assim algumas concretizações e o pagamento integral da dívida. Com estas limitações era por 2019 que todos aguardávamos chegasse rápido. Só passado mais de um ano seria possível dar mais força ao programa eleitoral do Partido Socialista. E assim está a ser!

A empreitada de requalificação dos passeios está em curso já na Rua dos Bombeiros Voluntários, Rua Padre Silva Gonçalves e sucessivamente serão intervencionados todos os passeios que estavam em estado avançado de degradação.

A concretização de novos espaços verdes, como aconteceu na Quintã, a remodelação de outros como na Praceta da Banda da Música e o início da reabilitação das rotundas de entrada da Vila, já iniciada na entrada da ponte, permitem que agora seja possível dar visibilidade ao trabalho de preparação efetuado.

Ainda se espera o inicio das obras do mercado e a requalificação da Alameda Rosas Guimarães.

Podemos ver também já em andamento a construção da 1ª fase do novo Parque de Lazer da Praia Seca com a consequente finalização da obra do Tojal. Confesso que é a obra que me deixa mais empolgado. Não só pelo que se está a fazer agora mas por ser o início de um projeto que achamos essencial para a qualidade de vida dos Taipenses e que os tempos modernos exigem. Falo aqui da circulação pelas margens do Rio Ave desde a Praia Seca até as Levadas. É, na minha opinião, uma causa que devemos abraçar com a maior dedicação pois além dos benefícios inerentes para o desporto e lazer, a maior presença de pessoas inibirá possíveis atentados ambientais e trará uma maior exigência de todos para com o rio e com a limpeza das suas margens.

Nota: Fora do tema não poderia aqui nesta coluna de dar os PARABÉNS a TODOS quantos tiveram intervenção para que a nossa nova escola EB 2,3 fosse uma realidade. Por mais ínfima que tenha sido a participação de cada um, quem a teve deve sentir-se orgulhoso. Como cidadão, e sem ter tido qualquer intervenção, assim me sinto com aquela obra.