PUB
Afinal, havia outro – caminho!
Terça-feira, Julho 15, 2014

Uma delas foi publicada no final da semana passada, cerca de um mês após ter terminado o resgate a que Portugal esteve sujeito. Em alguns órgãos de comunicação social foi feita referência a um documento elaborado por um conjunto de técnicos do FMI, defendendo que, para Portugal, teria sido muito mais vantajoso a renegociação da divida!

Exceto ao “olhos” dos nossos governantes e da senhora Christine Lagarde, esta informação acaba por ser o que há muito se havia concluído e que, por exemplo, o maior partido da oposição, o Partido Socialista, há muito vem defendendo. A renegociação da nossa dívida, segundo aqueles técnicos, seria o caminho mais aconselhável que deveria ter sido seguido. Evitaria, certamente, que a política de extrema austeridade e neoliberal que nos foi imposta pelo nosso Governo e com o patrocínio da Troika, tivesse originado um aumento brutal do desemprego, cortes impensáveis das pensões e remunerações da função pública, um aumento excessivo e anormal da carga fiscal, especialmente para a classe média e funcionários públicos. Com a aplicação destas medidas, apesar dos sacrifícios a que a maioria dos cidadãos portugueses foi sujeita, facilmente se concluiu que pouco ou nada contribuíram para alcançar os objetivos. Pelo contrário, a divida pública continuou a aumentar e ronda os 130% do PIB (Produto Interno Bruto).

Enfim, uma “cura” que pese embora denunciada por muitos e imposta por outros, através de uma “cartilha” que os nossos governantes cumpriram cegamente, algumas vezes, até, para além do determinado, praticamente “matou” o “paciente”, leia-se país.

Afinal, havia outro … caminho!