Academia de Ginástica concessionada à Tempo Livre
Academia de Ginástica concessionada à Tempo Livre
© Direitos Reservados
Sexta-feira, Junho 23, 2017

É a cooperativa municipal Tempo Livre que vai gerir a Academia de Ginástica, um equipamento que faz parte do lote de inaugurações agendadas para este sábado, 24, dia do município. A proposta da celebração do contrato-programa foi aprovada por maioria com os votos do PS e da CDU e abstenção da Coligação Juntos por Guimarães.

Ricardo Araújo, vereador da oposição, argumenta que “não deixa de significar um aumento da comparticipação municipal à cooperativa Tempo Livre que já tem uma comparticipação anual de cerca de 900 mil euros e que agora passa a ter mais um financiamento”. É uma política contrária ao que esta Coligação defende: “um aumento do financiamento publica aos clubes e às associações desportivas de Guimarães”.

Pontuando que “até se compreende que seja entregue à Tempo Livre a gestão e exploração do equipamento, uma vez que faz a gestão dos equipamentos ligados ao desporto em Guimarães e isso permite economias de escala e permite diminuir os custos”, Ricardo Araújo criticou aquilo que considera ser a falta de estratégia de ocupação do equipamento. “Não se sabe quantos clubes e atletas estão interessados em usufruir do espaço”, sublinhou.

O vereador da Coligação Juntos por Guimarães está também reticente quanto aos preço praticados, na medida em que a Academia de Ginástica “vai ter um valor/hora a rondar os três euros quando os outros pavilhões rondam os 10€/hora. Há uma diferença grande entre o valor/hora quando comprado com outros pavilhões existentes no município”.

Amadeu Portilha, vereador com a paste do Desporto e que tutela a Tempo Livre, realçou o equívoco da oposição: “esta é uma infra-estrutura única e altamente especializada e não é possível determinar o custo/hora por cada atleta porque ali podem estar 20 ou 200 atletas ao mesmo tempo no interior”. Disse ainda que modalidade como o rugby, na pista de atletismo, e o polo aquático, no complexo de piscinas, não pagam o preço de tabela pela utilização do espaço.

Quanto à concessão à Tempo Livre, Amadeu Portilha esclareceu que se trata de “um processo natural”: “A Tempo Livre é que faz a gestão de todo o parque desportivo em Guimarães. Foi uma adenda ao contrato-programa para dotar [a cooperativa municipal] das ferramentas para isso. Terá custos de manutenção muito reduzidos devido às inovações tecnologias introduzidas”.

O responsável avançou que o equipamento é inaugurado este sábado e começará a funcionar em pleno em setembro, no início da época desportiva. Mas em julho estará a ser usado pelo Clube de Ginástica de Guimarães, com 400 atletas, para já o único clube da modalidade no concelho.