PUB
A Verdade da Mentira
Sexta-feira, Maio 29, 2009

Toda a gente se apercebe que o nosso “governo de Lisboa” cuida especialmente bem da sua imagem e da comunicação com o “povo”; tem, inclusivamente, criado um gabinete para a comunicação; e tem ainda uma estratégia de comunicação que faz com que os anúncios das medidas e da “distribuição” de dinheiro pelo país o seja em momentos previamente definidos com vista a produzir determinados resultados (positivos) em termos de imagem no eleitorado.

Temos bem presente os “milhões de euros” que têm sido anunciados quase para todos os sectores de actividade económica. Das duas uma: ou o dinheiro existe ou é MENTIRA. O mais censurável é saber que é mentira e insistir na mentira. Toda a gente se apercebeu que o Orçamento de Estado para 2009 era uma mentira. A oposição bradou e o governo quis que a mentira se mantivesse.
O PS é uma escola. Os procedimentos e as atitudes dos órgãos centrais desmultiplicam-se até aos regionais.

O PS de Guimarães, que não pode com as Taipas e com a Junta das Taipas nem com molho de tomate e por isso perverte as regras do funcionamento das instituições (entidades e órgãos) em função dos seus interesses partidários, anunciou, em pré-campanha eleitoral, que conseguiram um “Lar de Idosos”. Até aí nada de novo.

Vem-se a saber que a entidade que está a encetar os esforços para a construção de um Lar de Idosos é o Centro Social Padre Manuel Joaquim de Sousa e não o PS – primeira mentira.
Segunda mentira tornada pública: que o Lar de Idosos será público. O Lar de Idosos, se pertence ao Centro Social, é particular.
Terceira mentira: que o Lar de Idosos vai ser gratuito.

Os ensinamentos que ficam desta atitude do PS, não recomendáveis, são os seguintes: a deturpação clara das regras do estado direito democrático – uma entidade pública não promete bens e dinheiro a particulares – Câmara/Ricardo Costa.
A instrumentalização partidária de uma associação – Centro Social Padre Manuel Joaquim de Sousa – que deve estar equidistante das lutas eleitorais e partidárias.

Venham muitos “Lar de Idosos” para a freguesia e Vila desde que sejam para debelar e satisfazer as necessidades das populações e que os serviços prestados pelas entidades que as gerem seja um autêntico serviço público com privilégio dos cidadãos de menores rendimentos e recursos.

Desejo que o PS se arrependa das mentiras que apregoa, tal como Pedro renegou conhecer Cristo três vezes.