PUB
A fuga para a frente…
Quinta-feira, Novembro 29, 2018

Por estes dias assistimos a uma encenação política que não lembrava ao “diabo”. Encenação e cambalhota, numa narrativa que tem feito escola na gestão da nossa autarquia.

Ajudem-me a perceber isto.

A maioria Socialista apresenta para votação o organigrama da autarquia para 2019 onde se percebe que deixou de existir a Divisão de Juventude e Associativismo.

Na reunião de Câmara o Vereador André Coelho Lima denuncia e questiona este desaparecimento.

O Presidente da Câmara justifica que é uma área transversal e que não se justifica qualquer estrutura de recursos humanos afetos exclusivamente à Juventude. Discordamos mas ficamos esclarecidos.

No mesmo dia à noite, a JSD – Juventude Social-Democrata condena esta decisão e critica fortemente a extinção, demonstrando que em Guimarães a autarquia pouca ou nenhuma importância dá às políticas de Juventude.

Já noite dentro vem a JS – Juventude Socialista defender a criação do Gabinete de Juventude.

Dois dias depois, o Presidente da Câmara – o mesmo que 72h antes disse que não se justificava qualquer estrutura de juventude no mapa da câmara – recebe a JS no seu Gabinete e é anunciado publicamente o Gabinete de Juventude com localização já definida.

Pergunto:

Quem manda na autarquia? Que grande cambalhota deu o Presidente da Câmara que, repreendido pela sua Juventude Partidária e pela pressão da JSD, lá veio dar o dito pelo não dito.

É lamentável que perante uma dificuldade clara de se justificar algo que não se compreende, a extinção de uma estrutura de juventude num concelho marcadamente jovem, se monte uma encenação para dar aparência de uma realidade que não existe.

Este episódio diz muito de como é gerida a nossa autarquia.

Votos de umas boas festas.