PUB
A “família” do teatro vimaranense reúne-se para a integral de Raul Brandão
A “família” do teatro vimaranense reúne-se para a integral de Raul Brandão
© Direitos Reservados
Quarta-feira, Fevereiro 22, 2017

Uma festa do teatro toda ela dedicada à dramaturgia e Raul Brandão. Integrado no festival literário Húmus, que por sua vez assinala os 150 anos do nascimento do escritor, envolverá dezena e meia de grupos de teatro e 150 atores.

A obra dramática de Raul Brandão irá ser mostrada, na íntegra, por grupos amadores e escolas de teatro de Guimarães. O motivo é a passagem dos 150 anos sobre a data de nascimento do escritor, que teve em Guimarães uma das suas passagens.

A iniciativa insere-se no programa do festival literário Húmus, que celebrará, a vida e a obra do autor. Este será um momento único por vários motivos. Primeiro, será uma oportunidade para resgatar toda a obra que Raul Brandão produziu para teatro. Além disso, a circunstância juntará quase uma vintena de grupos de teatro amadores de Guimarães e de escolas como a da Universidade do Minho e a academia do Teatro Oficina.

Esta iniciativa está a ser anunciada como uma festa. Poderia bastar a efeméride, mas há outros motivos que conformam a ideia de uma grande festa, que acontecerá na cidade de Guimarães, na primeira quinzena de março.

De resto, este pode ser visto como um momento de congregação de várias disciplinas artísticas, convocando diversas entidades, cujas principais atividade vão além do teatro. É o caso da Sociedade Martins Sarmento, o Cineclube de Guimarães ou o Círculo de Arte e Recreio, responsável pelos históricos Festivais de Gil Vicente, na cidade berço.

A festa do teatro de Raul Brandão tem data de início no dia 8 de março, com uma apresentação de “Teatro da Alma”, pela companhia do Teatro Oficina (na foto). O programa continuará até dia 12, domingo, com várias apresentações ao longo do dia. A primeira às 11 horas, no Largo de Donães, com “Árvore da Vida Rauliana”, pelos alunos das Oficinas de Teatro Oficina. Caberá ao grupo Osmusiké apresentar a peça de encerramento com “O Avejão”, no CC Vila Flor.

Conheça o programa em detalhe, na próxima edição do jornal Reflexo.