PUB
A escolha é sua…
Quarta-feira, Dezembro 31, 2008

O nosso presidente de Câmara não se cansa de repetir que o município a que preside tem tido uma grande preocupação e uma especial atenção para com a vila das Caldas das Taipas. Efectivamente, creio que, excepcionando as freguesias da cidade, tal afirmação corresponderá à verdade. Vejam-se os milhões de euros gastos com a criação do Avepark, na construção das suas acessibilidades, o apoio dado à construção do Centro Pastoral e a forte aposta numa candidatura da Cooperativa Taipas-Turitermas ao QREN, entre outros. Provavelmente, nunca como agora se investiu tanto dinheiro na vila das Caldas das Taipas. E dinheiro esse aplicado em obras fundamentais para o crescimento e desenvolvimento da nossa vila.

Mas isto chegará? Não nos faltará mais nada?

É evidente que nos falta muita coisa. Basta ler os programas eleitorais que todos os partidos apresentaram aquando das últimas eleições autárquicas para concluirmos que muito, mas mesmo muito, ainda está por fazer…

Contrariamente ao que acima referi relativamente ao município, o mandato autárquico do actual executivo da freguesia de Caldelas tem sido, desde os últimos 20 anos, o mais pobre em termos de investimentos. Ano após ano, e desde que a Junta foi ganha pelo PSD, as despesas com investimentos têm diminuído, atingindo níveis nunca antes verificados. Ao invés, as despesas correntes com contratados a título mais ou menos precário, avençados, estudos, pareceres, e outros que tais, tiveram e continuam a ter um aumento exponencial. Tudo isto não nos temos cansado de repetir à sociedade nas assembleias de freguesia.

Os actuais membros da Junta de Freguesia, durante a campanha eleitoral, apregoavam a mudança e apelavam aos taipenses para que acordassem (quem não se lembra do magnífico cartaz com o relógio despertador?), sempre acompanhados de uma atitude de arrogância, sobranceria e promessas de poder reivindicativo perante a Câmara Municipal que, em primeira instância, terão rendido muitos votos. Hoje, confirma-se que foi a estratégia mais errada e suicida que se poderia ter adoptado, colocando o actual executivo numa situação de total encurralamento, virando-se o feitiço contra o feiticeiro…

Agora sim, tais apelos de mudança e para acordarmos são necessários para sairmos desta apatia e desta estagnação em que se encontra o poder autárquico da freguesia.

E para onde fugiram os tão badalados investidores privados que permitiriam cumprir todas as promessas sem necessidade de apoio do Município? Estas e outras questões, evidentemente, serão alvo do escrutínio popular nas eleições autárquicas a realizar em 2009. Portanto, senhor eleitor, a escolha é sua…