A EN 101 transformada numa “Avenida da Boavista”
A EN 101 transformada numa “Avenida da Boavista”
Sábado, Fevereiro 11, 2017

Uma via urbana, semelhante à avenida da Boavista, no Porto, é o que a Coligação Juntos por Guimarães propõe para a EN 101. A principal força da oposição quer voltar a discutir o trajeto da via para o Avepark, que recebeu esta semana luz verde do governo, e requalificar os cerca de cinco quilómetros da estrada que une o centro da cidade às vilas mais populosas de Guimarães: Ponte e Taipas.

Para André Coelho Lima, candidato pela Coligação Juntos por Guimarães (JpG) à autarquia e vereador, “não se pode estar a menos de cinco quilómetros de Guimarães e demorar 30 minutos em trânsito. Não basta pensar apenas no Avepark, é preciso pensar nas pessoas [cerca de 30 mil nos aglomerados populacionais de Ponte e das Taipas]”. Já Monteiro de Castro, também vereador da JpG, deu o exemplo da Avenida da Boavista, no Porto, como forma de visualizar aquilo que são as intenções da Coligação para a EN 101, “dotada das potencialidades de ter uma ciclovia e outras valências”. Ambos falaram à imprensa esta sexta-feira, 10.

Esta força política aponta que a premissa mudou porque até agora o debate à volta desta estrada estava condicionado pelo facto de ter que ser uma via dedicada. Isto é, para ter financiamento comunitário a estrada teria que servir, sobretudo, o parque de ciência e tecnologia. Mas o anúncio desta semana de 18 milhões de euros para a estrada que ligará a sede do concelho e o Avepark chegou com a informação de que se trata de um investimento que sai diretamente do Orçamento de Estado e não dos fundos comunitários. A estrada já não terá que ser uma via dedicada. Para André Coelho Lima, “faz todo o sentido voltar a trazer à discussão pública a requalificação da EN 101 que liga Guimarães às Taipas”, “resolvendo dois problemas com o mesmo volume de investimento”.

A JpG explicou, através de orçamentos por aproximação, que a requalificação da EN 101 custaria cerca de 5,5 milhões de euros, “já com o valor das expropriações incluído”. A via proposta pela mesma força política para fazer a ligação ao Avepark está orçada em 12 milhões. Ora isto quer dizer que, para a Coligação, os 18 milhões prometidos podem ser a resposta para a estrada nacional e para a via dedicada.

A Coligação reforçou a crítica ao traçado proposto pela Câmara Municipal de Guimarães que passa por terrenos que são reserva agrícola ou ecológica e que, segundo Monteiro de Castro, também vereador da oposição, tem declives acentuados. A proposta da CMG está orçada nos 18 milhões de euros anunciados esta semana pelo Governo e não conta com uma intervenção na EN 101. Recorde-se ainda que a via dedicada foi contestada pela Quercus e Associação Vimaranense de Ecologia.