A ACIT
Quinta-feira, Dezembro 27, 2007

Enquanto não chegam as festas de S. Pedro, e contrastando com a apatia reinante na vila, há associações e instituições locais que vão dando sinais de inconformismo e de dinamismo muito positivos.

A ACIT (Associação Comercial e Industrial das Taipas) é claramente um desses casos.

Aquando da sua génese, escrevi nas páginas deste jornal o seguinte: “(…) Embora inicialmente o seu processo não tenha sido conduzido da melhor maneira (com algumas incursões políticas dispensáveis) e pelas pessoas certas, penso que se trata de uma iniciativa de louvar, pelo empreendedorismo demonstrado pelos seus fundadores e por aquilo que, certamente, de bom poderá trazer para o comércio e a indústria da vila. Parabéns e bom trabalho!”.

Ao contrário de algumas vozes críticas que se mostraram contra a ideia, em si, de criação desta associação, sempre louvei o seu nascimento, por achar que seria uma mais-valia e um apoio importante (e mais presente) para os nossos comerciantes e industriais. Critiquei, apenas e só, o aproveitamento político que daí alguns tentaram retirar e a tentativa, ainda que camuflada, de ataque à Câmara Municipal (propósito este que nunca poderia estar subjacente à política de criação de uma associação desta natureza).

Volvidos alguns meses, posso dizer que as minhas melhores expectativas se confirmaram. A ACIT tem desempenhado um papel importante na promoção e divulgação do comércio e indústria locais. Estão de parabéns os seus associados, a sua Direcção e o seu presidente, Dr. Marco Ribeiro.

Iniciativas como o lançamento de um concurso gastronómico, a realização de campanhas específicas no Natal e Páscoa, a realização da feira do automóvel usado, a irreverente ideia de criação do “kiwieiro” (para substituir o tradicional pinheiro de Natal), o slogan adoptado para esta época natalícia – “O Maior Shopping ao Ar Livre da Região”, entre outras, têm demonstrado todo o vigor e dinamismo da ACIT.

É com medidas de marketing inovadoras e irreverentes como estas que se promovem e publicitam os nossos produtos e serviços, na tentativa de persuadir os consumidores da região para um verdadeiro mercado alternativo a Braga e Guimarães, assim criando condições para o crescimento e desenvolvimento económicos da nossa vila.

Post Scriptum I – Tal como prometido e anunciado, iniciaram-se já as obras de construção da via de ligação da variante das Taipas ao Avepark, naquela que será talvez a obra mais cara deste mandato no concelho de Guimarães, com um investimento na ordem dos 2.200.000,00 €.

Post Scriptum II – Caldas das Taipas afirma-se, cada vez mais, como uma vila urbana e virada para as novas tecnologias, quem sabe inspirada pelo avançar do projecto “Avepark”. Reflexo disso mesmo é o aumento considerável de blogues dedicados à vida social e política taipense. De entre estes, gostaria de aqui destacar o excelente blogue “O Polvo das Taipas” (www.opolvodastaipas.blogspot.com), que, com muita ironia e humor, trouxe uma nova e diferente forma de encararmos a vida politica e social taipense. Bem-haja o seu autor, que apesar de se manter no anonimato, revela grande sentido de humor, inteligência, escrita fácil e uma imaginação muito fértil. De lamentar são alguns dos comentadores que, escondidos sob a capa do anonimato, aproveitam para insultar terceiros e destilar ódios pessoais, revelando, por vezes, uma grosseria e uma falta de respeito pela opinião dos outros que me causam náuseas.

Post Scriptum III – O jornal “Trigal”, editado e publicado pela nossa Escola Secundária, venceu o Concurso Nacional de Jornais Escolares, promovido pelo Projecto Público na Escola. Mais motivos de felicitação para a escola e, desta feita, para os autores e colaboradores daquele jornal.