PUB
Westway LAB coloca Guimarães no epicentro da criação musical
Quinta-feira, Abril 7, 2016

Terceira edição do festival, que decorre entre 14 e 16 de abril, gira em torno da criação musical e da discussão de desafios relacionados com a indústria.

O Westway LAB é um festival inovador que se fundamenta em três pilares: processo, pensamento e produto. A terceira edição desenvolve-se à volta da criação musical e dos desafios relacionados com a indústria. De 6 a 15 de abril há residências artísticas, no Centro de Criação de Candoso, e de 14 a 16 estão programadas Conferências PRO, Talks, showcases e concertos, sempre ao som da música que vai nascer do encontro dos vários artistas que se juntam em Guimarães para criar. Os resultados das residências artísticas são apresentados no CCVF.

As Conferências PRO, que apresentam uma forte componente programática em torno da gestão musical, decorrem de 14 a 16 no Palácio Vila Flor. Na ordem de trabalhos das conferências estão painéis e debates sobre novos festivais de música europeus, direitos musicais, edição de música e o trabalho de supervisão musical em trabalhos audiovisuais. Destaque para os painéis com Charles Caldas, da MERLIN, e Helen Smith, da IMPALA. As Talks, que representam um momento para conhecimento mútuo entre os artistas e o público da cidade, decorrem nos dias 14 e 15 de abril, às 18h00, no restaurante Cor de Tangerina (dia 14) e no Tio Júlio (dia 15).

No dia 14, às 22h00, o Café Concerto do CCVF acolhe os primeiros concertos do festival. O primeiro é fruto das residências artísticas e o segundo consiste na atuação de Ivan and The Parazol. No dia 15, às 21h00, o palco do Grande Auditório recebe o concerto de abertura do cartaz oficial do festival. Este ano, o festival propõe o invulgar encontro em palco da lendária banda britânica The Membranes com o Coro de Jazz do Convívio. Na mesma noite, a partir das 22h00, o Café Concerto acolhe uma nova ronda de Showcases. Os primeiros a subir ao palco serão os artistas em residência, numa atuação seguida pelo showcase ETEP de Sarah P., cantora, compositora e atriz de nacionalidade grega que toca uma música minimalista, inspirada na sonoridade dos anos 90 com um forte caráter pop.

No último dia de festival, às 17h00, o Café Concerto acolhe o GigMit Stage, iniciativa para a qual foi aberto um “open call” que obteve respostas de 200 bandas à volta do mundo, das quais 3 bandas terão oportunidade para atuar ao vivo: Suzie Stapleton, Sleepwalker’s Station e Fortnight in Florida. A noite de encerramento do festival começa no Pequeno Auditório, às 21h30, com um concerto de Filho da Mãe, que apresenta o novo trabalho Mergulho. A partir das 22h30 há concerto duplo no Grande Auditório com os holandeses MY BABY e os portugueses PAUS. O festival termina no Café Concerto com Rui Maia, que está de volta aos discos em nome próprio com Trinity of Thunder EP, que se apresenta ao vivo em formato DJ set e live acti.

Os bilhetes para os concertos do Westway LAB já se encontram à venda e o passe geral, pode ser adquirido pelo valor de 15,00 euros, dá direito a assistir a todos os concertos dos dias 15 e 16 de abril. Os Showcases e o GigMit Stage têm entrada livre.