PUB
Vereadores aprovam verbas a distribuir pelas freguesias
Sexta-feira, Março 6, 2009

Caldelas não receberá mais um cêntimo da Câmara de Guimarães do que no ano passado. O mesmo para as freguesias, que receberão o mesmo que em anos anteriores. O pacote das verbas a transferir para as freguesias foi aprovado pelo executivo na primeira reunião de câmara de Março.

A Câmara Municipal de Guimarães aprovou ontem os montantes a distribuir pelas freguesias. A verbas a transferir já estavam inscritas no Orçamento Municipal para 2009, aprovado pela Assembleia Municipal no final do ano passado e destinam-se à execução, por parte das Juntas de Freguesia, de pequenas obras de conservação e reparação de edifícios escolares.

A este nível, a freguesia de Caldelas irá receber, à semelhança de anos anteriores, 8.740 euros. A totalidade das verbas a transferir para as freguesias ascende a mais de 455 mil euros, valor que se mantém desde anos anteriores.

Outra verba a atribuir para a freguesia prende-se com o apoio financeiro a conceder à organização das festas de S. Pedro – incluídas na lista de festas consideradas de “interesse concelhio e local”. Neste molde serão mais 6 mil e oitocentos euros a entregar à comissão organizadora.

Ainda a propósito do abando de Júlio Mendes, à margem da reunião, durante o período antes da ordem do dia, a bancada do PSD questionou o elenco socialista sobre os motivos que estiveram na origem do abandono do ex-vereador do urbanismo.

António Magalhães, explicou que na origem das divergências na Muvipar (empresa de gestão das parcerias público-privadas para a construção de equipamentos no concelho) estava o procedimento a adoptar para a atribuição das empreitadas. Júlio Mendes entendia que, em defesa da “celeridade dos processos”, se adoptasse a modalidade simplificada de ajuste directo, evitando assim o concurso público.

Por seu lado, o presidente da câmara entende que, como forma de precaução e de evitar confrontos políticos no futuro, a melhor metodologia seria a atribuição das obras por concursos públicos. Magalhães assumirá, disse, “todos os custos políticos que surgirem” caso as obras não apareçam dentro do tempo conforme o compromisso assumido, nomeadamente da assembleia municipal.

Garantiu, contudo, que as obras serão feitas, seja ou não dentro do esquema da Muvipar (onde nada pode avançar sem o aval da câmara).

O edil informou ainda a câmara da homologação da Equipa de Intervenção Permanente (EIP) nos Bombeiros Voluntários de Caldas das Taipas, passando o concelho de Guimarães a contar com duas equipas deste tipo.

Texto: Paulo Dumas

Artigos Relacionados