PUB
Unidade operacional das Nações Unidas em Guimarães deverá passar a instituto
Segunda-feira, Novembro 16, 2015

A Unidade Operacional em Governação Electrónica da Universidade das Nações Unidas (UNU-EGOV) deverá passar a instituto. Objectivo é que evolução seja feita nos próximos dois anos.

Na reunião de Câmara da última quinta-feira, 12 de Novembro, Domingos Bragança avançou com a possibilidade de a Unidade Operacional das Nações Unidas, instalada na cidade, evoluir para Instituto da Universidade das Nações Unidas num espaço temporal de dois anos.

Domingos Bragança refere que esta possibilidade “supera em muito as expectativas iniciais” e que “significa que, em vez de termos uma unidade operacional, temos uma universidade por completo em Guimarães, e em Portugal, que é e única”. O Presidente da Câmara Municipal explicou que os responsáveis das Nações Unidas estão tão agradados com Guimarães, e com as instalações, que transmitiram a possibilidade de a unidade evoluir para instituto, caso existam condições para o alargamento das suas instalações. O facto de o local estar a ser preparado para uma candidatura a património mundial teve também uma importância significativa para os responsáveis da universidade das Nações Unidas, uma vez que “a confirmar-se será uma situação única para as Nações Unidas”.

Foi neste contexto que foi apresentada na reunião de câmara a proposta n.º 9, que no decorrer dos trabalhos acabaria por ser retirada para apreciação na próxima reunião do executivo. A proposta previa a contratação de serviços referentes aos trabalhos necessários para a execução integral do projecto de “Reabilitação e Refuncionalização do Edifício da Fábrica Freitas e Fernandes (área remanescente devoluta), para as novas instalações do Instituto da Universidade das Nações Unidas e Agência para a Modernização Administrativa”.

Uma vez que “o edifício é único e foi recuperado há dois anos para esta unidade”, a Câmara Municipal entende que “fará sentido entregar ao mesmo projectista, senão temos metade do edifício com um projectista e outra metade com outro, o que não faz sentido”. Domingos Bragança acredita que há então fundamentos para que a Câmara Municipal autorize a abertura de um procedimento de ajuste directo, com vista à celebração de um contrato de aquisição de serviços, situação que, pelas reacções dos vereadores, lhe pareceu ser pacífica. A situação deverá ficar plenamente esclarecida no final do mês, altura em que o executivo municipal volta a reunir nos Paços do Concelho.

Recorde-se que as instalações da Unidade Operacional em Governação Eletrónica da Universidade das Nações Unidas (UNU-EGOV) foram inauguradas a 24 de de Abril de 2015 e localizam-se na Zona de Couros onde funcionou a fábrica Freitas e Fernandes. No mesmo edifício está também instalada uma delegação da Agência de Modernização Administrativa.