PUB
Um quarto de século de Jazz em Guimarães
Sexta-feira, Novembro 4, 2016

A partir deste sábado, 05 de novembro, Guimarães comemora o 25º aniversário de um Festival de Jazz, que é uma referência no panorama nacional e internacional. Uma longevidade pouco comum em festivais! Este ano, a organização decidiu acrescentar ao seu programa habitual um concerto inaugural, de carácter festivo, protagonizado pelo LUME (Lisbon Underground Music Ensemble), a Banda Musical de Pevidém e o BJazz (Convívio Jazz Choir). Imperdível.

São 25 anos. De Jazz! Guimarães Jazz! São 25 anos de existência ininterrupta. Desde 1992 – altura em que Paço dos Duques de Bragança acolhe a sua 1ª edição, ainda timidamente mostrando ao público vimaranense uma estética musical habitualmente consumida por um nicho de melómanos –, o Guimarães Jazz tem vindo a percorrer um caminho de divulgação do Jazz, nas suas mais variadas expressões, notável.

São 25 edições que representam um multiplicar de nomes que cá deixaram o que de melhor se faz no mundo do Jazz. Muitos regressaram anos mais tarde. Outros gostariam de ter regressado. E outros ainda gostariam de cá tocar pela primeira vez. Voltando ao princípio, à génese da ideia, encontramos uma parceria entre a Convívio, associação cultural vimaranense e a Câmara Municipal de Guimarães, exemplo do que deve ser uma política pública de base cultural-democrática. Esta parceria é, mais tarde, reforçada com a introdução de um novo elemento (A Oficina), consolidando a estrutura organizacional do Festival.

Dúvidas houvesse, dúvidas hoje desfeitas. O Guimarães Jazz apresenta nomes consagrados no seu cartaz, mas igualmente novas e ousadas apostas. O Guimarães Jazz procura o equilíbrio entre o consensual (tanto quanto seja permitido) e o que levanta perplexidades. E é esse equilíbrio que tem mantido o festival vivo, dinâmico e alegre. Em novembro, Guimarães é destino obrigatório para quem gosta de Jazz. O público do festival é fiel. Reconhece a sua qualidade. Gosta do que ouve. É conhecedor. Passados 25 anos desde que o Guimarães Jazz se deu a conhecer, sabemos que atingimos algo de único, especial, reconhecido. Mas continuamos com uma ambição: olhar o futuro, na procura de caminhos por desbravar no jazz contemporâneo.

Parabéns, Guimarães Jazz!

Vereador da Cultura da Câmara Municipal de Guimarães