PUB
Um ano depois…
Quarta-feira, Junho 11, 2003

Faz este mês um ano que iniciei esta coluna de opinião. Quando o Director do Jornal Reflexo, Dr. Alfredo Oliveira, me convidou para o fazer, teve a amabilidade de me dizer que eu seria inteiramente livre de escrever sobre o que quisesse. E deu-me, para tal, um honroso espaço entre dois outros cronistas, nomeadamente o Dr. Cândido Capela Dias e o Sr. Armando Marques. Achei um desafio interessante, porque mesmo não faltando assuntos de interesse local, ou mesmo nacional, manter uma coluna mensal é sempre uma tarefa de algum trabalho e prazer. Assim, tentei escolher temas actuais, do quotidiano de todos nós, alternando algum sentido de humor, que julgo ter, com assuntos mais sérios que me preocupam e que, creio, preocuparão uma parte significativa dos portugueses.
Ao Dr. Alfredo Oliveira e leitores, aqui fica o meu reconhecimento.

Pê éSses finais:

“Biba” o Glorioso Futebol Clube do Porto, Carago!!!

Uma palavra de obrigado aos atletas da Selecção Nacional de Futebol -Sub 17, pela conquista do Penta Campeonato Europeu e, em particular, ao Márcio Sousa, ex-aluno da Escola Secundária de Caldas das Taipas e natural do Concelho de Guimarães.

Parabéns à A.H.B.V.C.Taipas, pelo seu 116º Aniversário, às novas unidades e valências, assim como um obrigado pelo facto de não terem desistido da realização do “Maio Cultural”. No entanto, tendo a consciência que o Auditório é da A.H.B.V.C.Taipas e para uso da A.H.B.V.C.Taipas, e reconhecendo, ao mesmo tempo, que tem tido uma postura irrepreensível no que toca à cedência do Auditório a entidades individuais e/ou colectivas, tomaria a liberdade de deixar o seguinte apelo: para que o velho ditado “casa de ferreiro espeto de pau” não seja aplicado, não estaria na altura da Associação olhar para a (in)segurança do Auditório, para os seus acessos, conforto dos utilizadores, etc., sejam eles bombeiros, familiares, convidados ou simples cidadãos?

Parabéns à JS pela criação do Núcleo de Caldas das Taipas e, na pessoa do seu Coordenador, Luís Soares, transmitir uma palavra de encorajamento a toda a equipa, pois pareceram-me bastante determinados na realização das ideias apresentadas que, aliás, são oportunas, exequíveis e reveladoras de uma política sustentada. Não há dúvida que o nosso futuro está não mãos dos jovens.

É bom tornar a ver, na nossa Vila, a cor dos velhinhos táxis. Obrigado.

Será que a Junta de Freguesia é tripartidária ou bipartidária?

E o “adenovírus” lá continua…

Não podia acabar esta coluna sem desejar a todos Boas Festas Populares e apelar à participação nas mesmas. E como diz o “pobão”: “Um cupito não faz mal a ninguém. O que faz mal é o que está dentro do cupito.”

26