PUB
Uma janela de oportunidade
Quinta-feira, Maio 12, 2016

Nota de redacção: Devido a um erro na paginação do jornal Reflexo de Maio, o texto de Nelson Felgueiras não saiu completo. Aqui deixamos a versão integral do texto, com um pedido de desculpa para o seu autor e para os nossos leitores.
– – –

Já tive oportunidade de abordar a questão da apresentação do programa base do projeto de requalificação do Centro Cívico da Vila das Taipas neste fórum no artigo de opinião do mês passado.

Afirmei então que esta apresentação representa essencialmente o cumprimento de uma promessa do Presidente da Câmara Municipal de Guimarães a todos os taipenses e, porventura mais importante que o cumprimento do compromisso, a abertura de uma janela de oportunidade para que a vila cumpra o seu potencial histórico, económico, social e emocional.

Neste contexto considero de relevância fundamental a envolvência dos taipenses num processo coletivo que só sai a ganhar com uma participação plural envolvendo empresas, associações, coletividades e cidadãos.

Numa democracia madura deseja-se que as forças partidárias tenham a capacidade de servir como agentes de promoção da discussão pública, fomentando a participação de todos e servindo como plataforma de proximidade aos centros de decisão.

Foi precisamente isto que o Partido Socialista fez ao instar todos os taipenses a participarem no processo de construção conjunto, disponibilizando-se para recolher contributos de todos aqueles que os quisessem fazer chegar.

Mas não deve ficar por aqui.

A consequência coletiva do ato individual é porventura o busílis do problema do afastamento generalizado da participação política e partidária.

Sobre isto há que relevar dois aspetos que servem também para desmistificar uma ideia pré-concebida de que “são todos iguais”. O primeiro aspeto prende-se com a disponibilidade que os partidos têm para ouvir os cidadãos, e neste caso não foram todos iguais: uns estiveram disponíveis para ouvir e propiciaram instrumentos de proximidade com os cidadãos, e outros escolheram não o fazer. Um segundo aspeto sobre a referida consequência coletiva, que aqui significa tão simplesmente que os contributos e sugestões que os taipenses ofereceram sirvam para nortear uma discussão séria, rigorosa e fundamentada que queremos que exista.

Nessa medida a próxima Assembleia de Freguesia é um ótimo barómetro para aferir da utilidade prática da nossa participação e do papel que os partidos em Caldas das Taipas assumem enquanto legítimos representantes da voz dos taipenses.

Espera-se que aspetos como o impacto para o comércio local, para as dinâmicas sociais, para a preservação do património histórico ou para a mobilidade urbana que uma intervenção deste género implica estejam presentes no discurso político, pois certamente assim melhor se perceberá quem de verdade nos defende e representa.

Uma referência de apreço à Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Caldas das Taipas pelo 129.º aniversário, fazendo votos para que mantenham a excelência da sua ação e do serviço que prestam à comunidade e que é manifestamente reconhecida por todos.

Deputado municipal eleito pelo Partido Socialista