Uma gestão irresponsável
Terça-feira, Maio 12, 2015

Para incómodo da Junta de Freguesia, o esqueleto da ex-Pensão Vilas está localizado no centro da vila, numa rua muito frequentada por peões e automobilistas, que assim podem constatar o que se configura como um acto de péssima gestão, uma decisão irresponsável como desde sempre a qualificamos.

O pagamento ao proprietário, da ordem dos 3 mil euros mensais, assim como a liquidação das facturas das obras saem do orçamento da freguesia, ou seja do bolso dos contribuintes, sendo que esse mesmo orçamento da freguesia está condicionado, logo dependente, do modo como as receitas próprias evoluem, sabendo-se também que o andamento destas receitas está afectado pelo que a feira, sobretudo, rende.

Ora, o que já se nos afigurava difícil, dado os limites naturais da receita normal da feira, tende a piorar devido à crise económica, à austeridade que retirando poder de compra às populações, está na origem de menos feirantes e de mais atrasos no pagamento das taxas de terrado.

Tudo somado explica que as obras estejam paradas por falta de pagamento ao empreiteiro. Não é capricho, não é por embargo, porque o embargo já esta resolvido, é mesmo por falta de dinheiro.

É muito possível que a Junta de Freguesia, num assomo de vitalidade inconsistente, esteja a juntar restos, poupanças daqui e dacolá, sempre à custa do adiamento de outras obras ou de mais atraso noutras facturas de fornecedores, reúna alguns euros, muitos milhares de euros para retomar as obras lá mais para a frente, porque, como os menos distraídos sabem, até meados de Outubro há eleições para escolha da nova Assembleia da República e, na lógica própria dos partidos eleitoralistas, aqueles partidos que vivem de e para eleições e mais nada, há que arranjar maneira de enganar mais uma vez os eleitores simulando a resolução dos problemas e necessidades das populações, sendo assim de esperar movimentos anormais junto à ex-Pensão Vilas, movimentos que abrandarão logo que as eleições passem.

Pode o PSD dizer que foi um bom negócio e que a freguesia fica mais rica, com mais património, que o que para já temos é um conjunto de paredes que não se sabe quando serão mais do que um esqueleto vazio, sem vida à vista.

O processo da aquisição e transformação da ex-Pensão Vilas em Lar para Idosos, além de péssimo negócio, é exemplo indiscutível de gestão irresponsável do dinheiro dos contribuintes, do seu, do nosso dinheiro. Nunca teve nem terá o nosso apoio.