PUB
UMinho faz “tri”de Bronze no CNU de pista coberta
Terça-feira, Março 11, 2008

A Associação Académica da Universidade do Minho (AAUM) arrecadou três medalhas de bronze nos Campeonatos Nacionais Universitários (CNU) de Pista Coberta.

A Associação Académica da Universidade do Minho (AAUM) arrecadou três medalhas de bronze nos Campeonatos Nacionais Universitários (CNU) de Pista Coberta que decorreram no passado dia 2 de Março, em Pombal. Marta Sousa nos 60m e Mário Silva no salto comprimento e salto em altura foram os minhotos em destaque.

A prova decorreu pela primeira vez em Pombal, o que segundo o técnico da modalidade, Paulo Ferreira, “foi uma novidade que, desde logo, deu uma dimensão diferente à prova, elevando o seu nível de competição, pois contou com a presença de atletas de topo. É pena que as equipas do centro e sul não compareçam de mesma forma quando a prova se desloca para norte, uma vez que a competição tem mais qualidade quando todos estão presentes e em força”.

Apesar disto, refere o técnico “que foi pena a data ser a mesma de uma competição federada importante”. Foram sete os atletas da UMinho, que não puderam competir por estarem a representar nesse dia os seus clubes. “De uma vez por todas os responsáveis devem calendarizar as provas respeitando o esforço dos atletas e das IES que investem na participação neste evento”.

Logo a abrir a prova, a velocista Marta Sousa cumpriu os 60 metros em 8,31s, o que lhe valeu o terceiro lugar do pódio. Só Cândida Bairrada, do Instituto Politécnico de Leiria (IPL) e Daniela Ferreira, da Universidade do Porto (UP), conseguiram fazer melhor que a estudante de Eng.ª Civil da UMinho, ao alcançarem, respectivamente, as marcas de 7,92s e 8,17s. Do lado masculino, David Melo (7,55s) e João Rodrigues (7.86s) também estiveram em bom plano nos 60m sem, no entanto, alcançarem os primeiros lugares do pódio.

Nas provas seguintes, a UMinho viria a alcançar mais duas medalhas de bronze através do aluno de Física, Mário Silva. O atleta minhoto brilhou nas provas de salto, ao ultrapassar a fasquia dos 1,70m no salto em altura e ao aterrar nos 6,56m no salto em comprimento.

Na sempre emocionante corrida de estafetas, a UMinho com os atletas Mário Silva, João Rodrigues, David Melo e Bruno Vasconcelos, ficou a um segundo do pódio (1.41,23s), que foi ocupado pela Associação de Estudantes da Faculdade de Motricidade Humana (AEFMH) com um registo de 1.38,30s, pela Associação Académica da Universidade de Aveiro (AAUAv) com 1.38,53s e pela Universidade Nova de Lisboa (UNL) com 1.40,58s.

A academia minhota esteve ainda representada nas provas masculinas de 60m, 400m e nos 4 x 200m. Bruno Vasconcelos e David Melo, nos 400m, cortaram a meta respectivamente com 54,39s e 54,68s.

Com uma comitiva de seis atletas, cinco masculinos e um feminino, a UMinho não cumpriu os requisitos para pontuar para a competição por equipas (eram necessárias no mínimo duas atletas femininas), porém o bom desempenho das suas individualidades marcou a diferença.

A não obtenção do numero mínimo de atletas para poder pontuar no colectivo segundo Paulo Ferreira, “advêm principalmente do facto de decorrer nesse dia uma prova federada de crosse, desde logo estas atletas ficaram impedidas. Outras ausências deveram-se a trabalhos académicos, exames e ainda uma atleta em processo de recuperação duma lesão”.

Para o ano estão previstas importantes alterações no funcionamento da modalidade, para se melhorar o que este ano correu menos bem.

Paulo Gonçalves eleva a fasquia no salto em altura
O momento alto desta jornada acabou por surgir na prova de Salto em Altura onde o saltador bracarense Paulo Gonçalves (a competir extra-competição e a representar o Sport Lisboa e Benfica) que bateu o Recorde Nacional Absoluto da disciplina, depois de voar sobre a fasquia colocada a 2,21m. O atleta que curiosamente viajou para Pombal com a comitiva minhota, sucede deste modo a Rafael Gonçalves que detinha a anterior melhor marca nacional da modalidade – 2,20m.

Texto: Carlos Daniel Rego

Artigos Relacionados