Trabalhadores da indústria das cutelarias manifestam-se junto de unidades fabris
Quinta-feira, Janeiro 7, 2016

Um grupo de cerca de meia centena de trabalhadores manifestou-se durante a manhã de quinta, 7, reclamando por aumentos de salários que reflitam o aumento das vendas das respectivas empresas.

Cerca de meia centena de trabalhadores manifestaram-se durante a manhã e início da tarde de quinta-feira, 7 de Janeiro, à entrada das fábricas de cutelarias Mafil e Herdmar. A acção foi promovida pelo SITE-Norte (Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras, Energia e Actividades do Ambiente).

No caso dos trabalhadores da Herdmar foi feita a reivindicação pela actualização dos salários pagos aos trabalhadores, que reflita o aumento do volume de negócios registado pela empresa. Os trabalhadores alegam que a administração da empresa tem remetido a actualização de salários para uma decisão a tomar pela associação industrial do sector

O sindicato e os trabalhadores consideram estas reivindicações “da mais elementar justiça”, justificando que em 2015 as exportações do sector metalúrgico e metalomecânico superaram os 14 mil milhões de euros.

Os trabalhadores que se manifestavam junto da Manuel Machado & C.ª Ld.ª reclamavam não ter aumentos de salários desde 2004. Àquilo a que os trabalhadores chamam de “degradação da condição económica e social”, a indiferença com que a gerência da empresa tem lidado com a situação, constitui uma agravante aos direitos defendidos pelo sindicato e pelos trabalhadores.

Os trabalhadores da Mafil reclamam o aumento dos seus salários em 10 euros por cada ano em que não tiveram aumento, além do aumento do subsídio de alimentação para 5 euros e 25 dias de férias para todos os trabalhadores. O aumento das receitas provenientes das vendas registadas pela empresa são o motivo invocado pelos trabalhadores para a defesa dos aumentos.